sexta-feira, 7 de agosto de 2015

10 coisas que ninguém te falou quando você estava na escola

Ou: um textão cheio de gifs.

Em algum post eu já fui e voltei sobre os motivos d'eu gostar e desgostar da minha época de escola. Eu gostava de ver meus amigos todos os dias e da rotina que era mais light. Eu não gostava de física, de ver certos colegas diariamente, e daquela pressão por se encaixar que por mais desprendido você seja, você sentiu em algum momento entre os mais de dez anos (!) em que você passou em ambiente escolar (e não me venha desconversar).

Quando olho pra trás me dá um aperto no coração de lembrar sobre o quão chato era acordar mega cedo, usar uniforme feio, ter que ver as pessoas sendo ruins sem motivo algum, e ainda por cima passar horas encarando um quadro cheio de algo que eu tinha certeza que nunca usaria pra vida. Era inegavelmente mais fácil, não necessariamente melhor.

Crescemos em ambiente escolar, nossa personalidade e quem nós somos hoje começou a se desenvolver em ambiente escolar. Às vezes aquela sensação de pressão pra se adaptar, pra ser isso, ser aquilo, teve início na porcaria que pode ter sido o nosso ambiente escolar — lá, onde tudo era motivo de piada, tudo era motivo pra segregar e separar. As crianças são muito ruins umas com as outras. E os pré-adolescentes. E os adolescentes também. 

Teria sido mais fácil se naquela época alguém pegasse na minha mão e dissesse pra mim o que eu gostaria e precisava ouvir. Timelords infelizmente não existem, por isso escrevo esse post, pra Ana de dez ou cinco anos atrás, porque ela teria aproveitado isso:

1) VALIDE SEUS SENTIMENTOS E SUAS VONTADES

Sabe aquele colega que você não suporta que fica fazendo piada e rindo de todo mundo? Sabe aquela moça que você viu falando mal da sua melhor amiga e depois mal da melhor amiga dela e por isso percebeu que não quer mais nada com ela? Sabe aquela vontade que deu de ficar dormindo, por só um diazinho, e matar aula pra isso? Então, não precisa forçar convivência, não. Não precisa fingir que gosta só pra fazer parte do clubinho, não. Se alguém te tratou mal, sinta-se convidada a se afastar, porque você não precisa disso. O mundo é grande demais pra perder tempo com gente ruim ou com aula de física. Por isso, se você quiser faltar um dia, falte. Você recupera. Não vai morrer.

2) ESSE TEU UNIFORME NÃO É TÃO RUIM

Antes de mais nada, eu detestava meu uniforme. Por anos ele foi de um azul royal que hoje em dia tá na moda e eu não consigo suportar. O que eu mais gostava era chegar em casa, poder trocar de roupa, colocar um jeans, minha camisetinha nova, e sair com as amigas pro centro comer cachorro-quente. Mas daí eu virei gente grande e gente grande precisa trabalhar. E se você não tem uniforme, todos os dias você vai ter que escolher uma roupa pra ir trabalhar (!). E você vai gastar com isso (!). Porque das duas, uma: a) você não precisa se preocupar com vestimenta e ainda pode usar a camiseta de banda com tênis no seu ambiente de trabalho que tudo ok ou b) você não pode/não se sente confortável usando a camiseta de banda e tênis e se obriga a se vestir um pouquinho melhor pra cair na labuta, então consequentemente você a) compra roupas "pra ir trabalhar" ou b) compra roupas com o intuito de usar onde quer, mas acaba usando pra trabalhar e quando for sair tá tudo um lixo. Ou seja, você vai gastar seu dinheirinho pra poder trabalhar, logo uniformes não tão ruins assim (embora na sinceridade aquelas calças pretas sociais? pra mim, não dá).

3) NÃO PIRE PELO VESTIBULAR

Chega ensino médio e aquela pressão pra escolher algum curso pra faculdade começa. A preparação toda tem como mira passar num vestibular. Estude isso, porque vai cair no vestibular. Estude aquilo, porque pode cair no vestibular. Dos três anos, o ~terceirão~ é o pior. É frenético. Você visita universidades, lê sobre diversos cursos, se prepara toda pra poder!!! passar!!! no!!! vestibular!!! A parte difícil disso tudo é que ninguém te avisou que é bem comum que as pessoas passem no vestibular e caiam num curso que elas não tenham nada a ver. Elas pensam que se dariam bem, que vão gostar do curso x só porque x é uma coisa que elas gostam de fazer e quando a coisa não é bem assim, ficam lá, derrotadas, com um monte de frustração pra lidar. Eu mudei de curso, amigos meus mudaram de cursos, outros amigos meus não desistem mas detestam seus cursos, outros se pudessem voltar atrás fariam outro curso. A real é que talvez você pirou tanto por tanto tempo e você acabe nem gostando daquilo escolheu. Então se algo der errado, não se sinta tão frustrada, porque é muito mais comum do que tu imagina. 

4) É OK FAZER O QUE GOSTA

Pra alguns sortudos, talentosos e/ou decididos, O Que Fazer Na Vida™ veio predestinado quase de berço. Essas pessoas nasceram com uma aptidão pra seja lá qual área de uma maneira que só quem conhece alguém assim, sabe. Claro que tudo se aperfeiçoa, tudo melhora, se modifica, e o aprendizado é constante. Mas algumas pessoas já sabem o que querem, e só querem aquilo. E se você é uma dessas pessoas, go for it. Sem medo.

5) E TAMBÉM É OK QUERER UMA ~CARREIRA~

Pra alguns outros seres, nem tudo é bem fácil. Às vezes você gosta de algo, mas não a ponto de querer estudar aquilo. Às vezes você nem gosta tanto de algo, mas acha que seria bom naquilo outro. Às vezes você quer uma carreira, com a ideia que possa a vir a gostar daquela área, ou talvez não goste mas você quer trabalhar naquela área, ou talvez não queira mas aquela área te abra oportunidades de emprego que você gostaria de ter. E qual o problema disso? Trabalho é trabalho e eu não conheço ninguém (n-i-n-g-u-é-m) que não tenha reclamado do seu ao menos uma vez. Sinto que no meio de uma geração catraca free/good vibes é assustador a ideia de alguém querer fazer algo por dinheiro. E não é bem por aí. Então libera a culpa.

6) FAÇA ESTÁGIOS

Diversas pessoas que ainda estão na escola já trabalham, mas muita gente não, e eu falo pra essas. Falo pra *euzinha* do passado. Porque por mais tentador que a ideia de gastar a tua mesadinha no shopping tomando sorvete numa terça-feira a tarde ou ficar dançando Pussycat Dolls pelo quarto possa parecer, nada dá uma noção de realidade como um estágio ou trabalho. Você não vai ganhar muito bem, diga-se de passagem. Em contramão, no entanto, você vai aprender que o mundo é muito mais que a tua escola e o teu quarto. Que é difícil ganhar dinheiro e que é muito fácil gastar. Que quando a tua mãe reclamou que aquele tênis estava caro, ela tinha razão, porque vai parecer três vezes mais caro quando tu for pagar do teu bolso. A melhor coisa que fiz foi estagiar numa biblioteca. Aprendi tanto em um ano e pouco, que por óbvio saí de lá muito melhor do que quando entrei. Definitivamente não me arrependi de trocar as tardes ao som de Buttons e Don't Cha por ajeitar prateleiras empoeiradas. E garanto, que a longo prazo, você também não vai.

7) SE VOCÊ TEM AMIZADES NA ESCOLA, NÃO SE DESESPERE...

Lembro de chorar feito um bebezinho no dia da minha formatura do ensino médio porque eu não iria mais ver os meus amigos!!! E não iria mesmo. Não daquele jeito. Eu não iria mais ver eles às sete horas da manhã, todos os dias, mal humorada, com a previsão de dois períodos de matemática pela frente; eu não iria vê-los porque às sete da manhã eu estaria acordando pra ir pro trabalho, e eles também. Nossas vidas seguiram do jeito que tinham ou não que seguir, mas a amizade permaneceu. Fortificou. E é 100% mais bem aproveitada — afinal, nós temos dinheiro pra bancar viagens agora. Então não se desespere, se você tem uma amizade de escola, te garanto que é possível mantê-la.

8) MAS ALGUMAS VOCÊ VAI PERDER

No entanto, às vezes quando a gente cresce a gente cresce pra lados diferentes ("sometimes when people grow, they grow apart"). O curso natural da vida vai mandar alguém muito amigo teu pra outra cidade. Algumas pessoas que você considerava, você não vai mais ver. Vocês ainda vão tentar se ver, bater um papo, marcar algo, mas vai chegar uma hora que vocês não terão mais nada em comum e, sabe?, é melhor largar pra vida. Uma pessoa não deixa de ser importante e/ou memorável porque vocês perderam o contato. Temos um espaço estendível no peito ("the heart is not like a box that gets filled up; it expands in size the more you love") e uma memória maravilhosa pra guardar tudo o que tivemos de bom no passado mas não podemos mais carregar no presente e avante.

9) VOCÊ AINDA VAI ESTUDAR COISA QUE NÃO GOSTA

Ou não liga sobre. É comum e também um engano pensar que "eu vou tá fazendo o que gosto e por isso não vou me importar de estudar", mas acredite, você vai. Durante a vida acadêmica você vai estudar muita coisa que você não vai gostar ou não vai ver propósito. Talvez até você enxergue um propósito mas, como no ensino médio, teu professor vai ser tão ruim que você nada aproveitará. O ambiente muda, alguns dilemas permanecem os mesmos.

10) E AINDA VAI TER COLEGAS CHATOS

Você também pensa que vai ser amigo ou ao menos vai se dar melhor com os colegas porque eles estão fazendo a mesma coisa que eu! Só que não. Barata e gente chata dão cria. Você vai ter um (ou uns) equivalente puxa saco na sua turma, pelo menos um grupinho de pessoas mal-educadas que conversarão durante a aula e algum colega liso que vai levar tudo numa boa se aproveitando dos outros. Ah, trabalhos em grupo continuarão sendo aterrorizantes.

Num balanço geral a vida é melhor depois da escola. Então quando você achar que nem tudo tá certo, nem bom, nem no lugar, não se estresse. As coisas se ajeitam. E se elas não se ajeitaram ainda, calma. A esperança nunca morre, você vai ver.

BEDA (blog everyday in august) #7

6 comentários

  1. Antes de mais nada, PRECISO fazer um post desses, por favor, me autorize. Fiquei meia hora refletindo porque diabos não tinha pensado nisso antes, aff, que lerda.
    Concordo total com todos os pontos que você colocou, mas me senti particularmente abraçada por esse do vestibular. Eu troquei de curso não uma, mas duas vezes, e até hoje não sei muito bem o que tô fazendo, mas pelo menos é uma coisa que eu gosto na maior parte do tempo, então tá tudo certo.

    beijo <3

    ResponderExcluir
  2. Teria sido tão lindo se alguém tivesse sentado com a gente naquela época e explicado tudo isso.
    Mas gente, a principal questão é a do uniforme, sério, como eu sinto saudades de guardar minhas roupas pra sair e não pra passar o dia no trabalho, depois faculdade.

    Trabalhar nos dá outra visão da vida mesmo, comecei com 14/15, fazia os deveres lá mesmo, e nada me fez crescer tanto quanto aquela época.

    Sempre tem os amigos que a gente acha que vão ser pra sempre, mas que ficam no caminho né? Mas sempre tem aqueles que não largam mesmo da nossa mão. ♥

    Beijos Ana,
    Ana. (quanta Ana) <3

    ResponderExcluir
  3. Só li verdades do início ao fim! E eu sinto muita falta do uniforme _0_ Todos os dias quando tenho que sair para o trabalho, e logo depois ir para a faculdade fico me perguntando porque não se usa uniforme no ensino superior. Ia ser lindo não ter que usar todas as minhas roupas de sair em só uma semana de aula .-. As pessoas até que tentam, fazendo aquelas camisas do curso, mas não dá muito certo kkkk Adorei o post! Um beijo : *

    www.fleurdelune.com.br

    ResponderExcluir
  4. Nossa, teria sido maravilhoso ouvir isso quando eu estava na escola. Eu gostava muito de uniforme, mas na minha escola não tinha. Invejava quem usava porque deve ser bem mais fácil.
    Queria mesmo era que alguém tivesse me falado das amizades, principalmente a parte que diz que vamos perder algumas, porque até hoje eu não me conformo com algumas perdas, sabe? Crescer não é fácil, definitivamente.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Gente, esse numero 8 <3 não se aplica especificamente para amizades, mas caiu como uma luva para uma coisa que eu to passando agora mesmo - e olha que eu já me formei na faculdade(!!)

    E claro que pode me chamar de Alê, flor! Hahah na verdade respondo por basicamente qualquer apelido, então pode ficar à vontade!

    Obrigada pela visita e gostei muito do seu estilo de escrita!

    beijo!

    ResponderExcluir
  6. Que post maravilhoso! Me fez ficar pensando e lembrando de como eram as coisas na época da escola e como tudo está agora. Não tenho como discordar de nada que tu falou, Ana, porque os sentimentos dessas fases são meio que universais, né? Por isso digo que concordo em gênero, número e grau. Eu lembro de passar as tardes em casa sem fazer nada e me arrependo muito de não ter feito um estágio ou algo do tipo. Além disso, também sentia muito medo de perder os amigos. Hoje em dia, vejo que me afastei apenas daqueles que não eram tão amigos assim e quem ficou... Foi por um motivo.

    Gosto muito mais da minha vida agora, em termos gerais. Mas que às vezes dá uma saudade daquela época, ah, dá...

    ResponderExcluir

© OH SO FANGIRL
Maira Gall