quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Top 5: Álbuns de 2015

Chegou o final de ano e com ele aquela época boa de fazer year in review e dar umas choradas sobre como o ano foi ruim ou maravilhoso (nesse caso, ruim, né? Vamos combinar). Pra não cair no buraco de lamentações tão cedo, afinal ainda temos mais algumas semanas de 2015 pra sobreviver, que tal falar do que já tá certinho e aquecido no coração? Eu topo, e por esse motivo em uma série de posts despretensiosos (cof cof assim como o blog inteiro cof cof) pretendo contar um pouco do que achei ou deixei de achar de 2015. 

Meus álbuns favoritos do ano foram:

5. Beneath the Skin - Of Monsters and Men

Precisei me esforçar muito pra escolher entre o Beneath de Skin do Of Monsters e o Wilder Mind do Mumford. De ambos os álbuns eu esperei mais, e mais de algo parecido com aquilo que a gente já conhecia, que era ótimo e possuía um quê a mais completamente diferente. Ambas as bandas mudaram um pouco (ou muito) o estilo de suas músicas, e por mais que eu ainda prefira o estilo antigo, os dois álbuns eu ouvi muito e curti bastante. No entanto, o Beneath the Skin tem uma pequena vantagem, e por isso ocupa o quinto lugar. É um álbum mais calmo que o anterior, mas que mantém a mesma pegada de fantasia que combina muito com o Of Monsters and Men. 
♥♫ We Sink, Wolves Without Teeth, Empire


4. In Colour - Jamie XX

Por alguns meses o In Colour foi meu companheiro de busão, o álbum vibe chill do Jamie XX foi uma das boas surpresas do ano. O cara, pra quem não sabe, é uma das cabeças do The XX, o que por si só já justifica 80% o estilo do álbum. In Colour é álbum levinho, bom de ouvir numa tacada só, de preferência numa rede pegando vento ou numa road trip com janelas abertas (não fiz nenhuma das duas coisas, mas totalmente faria). Recomendo.  
♥♫ I Know There's Gonna Be (Good Times), Gosh, Stranger In A Room


3. How Big How Blue How Beautiful - Florence + The Machine

Eu AMO a Florencia. Ela e a Máquina são um amor antigo, em que tudo o que eu tinha pra consumir deles era um álbum prestes a ser lançado, com o nome de Lungs. Desde lá o amor é forte e fiel, e se tem uma coisa em que eu acredito piamente é que jamais serei decepcionada por Florence + The Machine. Quando anunciaram que teria show deles no Lolla do ano que vem eu entrei em colapso e é claro que dessa vez não vou perder de assistir essa força da natureza ao vivo (que nem eu perdi na vez que teve em Floripa). HBHBHB é maravilhoso, poderoso, um pouco sofrido e lindo. Penso que Various Storms & Saints é uma das músicas mais bonitas qual a Florence já deu vida. Vale a pena.
♥♫ Hiding, Which Witch, Queen of Peace


2. Kintsugi - Death Cab for Cutie

A bandinha favorita da vida lançou álbum novo esse ano e foi tudo o que eu poderia ter esperado. Voltando pra sua famigerada fossa, Ben Gibbard e seus companheiros fizeram de novo quando, lá em março, nos entregaram um álbum fechadinho e do jeitinho que a gente gosta (sofrível e adorável). Por óbvio eu fangirlei e dediquei um post inteirinho, cheio de gifs e surtos, só pra falar do terapêutico Kintsugi. 
♥♫ Ingenue, Good Help (Is So Hard to Find), Black Sun


1. BADLANDS - Halsey


fui e voltei sobre a moça e seu respectivo álbum, ainda naquele mês maluco em que a gente topou escrever o mês inteiro (COMO PUDEMOS?, eu me pergunto), e foi disparado o álbum que mais ouvi esse ano. Mal posso esperar pra ver menina Halsey ano que vem (e berrar cantando todas as músicas do BADLANDS). 
♥♫ Gasoline,  Roman Holiday, Colors

4 comentários

  1. Tão boas essas retrospectivas, meio que enganam e me faz pensar que o ano não foi tão ruim afinal de contas, HAHA. Sério, tô precisando muito ser enganada nesse quesito, ô ano sofrido, já deu. ENFIM, não vou chorar depressão nos seus comentários, deixa eu comentar sobre a maravilhosidade desse post! <333

    Acho que acabaria colocando Mumford no lugar de Monster no final das contas. Os dois álbuns são amor, mas acho que aproveitei mais o Wilder Mind. Sei lá, era o álbum que eu colocava pra ouvir quando não conseguia dormir e me acalmava muito, é até mágico. E que dúvida eu ficaria entre Flo e Death Cab! Kintsugi e How Big How Blue How Beautiful foram, com toda a certeza, os cds que mais ouvi esse ano, não sei o que escolheria pra colocar em primeiro na minha listinha (desculpa, acho que nunca ouvi esse álbum da Halsey inteiro). =**

    ResponderExcluir
  2. Enfim uma retrospectiva musical que eu tenho algo a comentar, hahaha!

    Não sou ligada em Of Monsters and Men, nem no Jamie XX, e ainda estou em falta com Florentina, mas o seu top 2 tá a minha cara. Muito por propaganda sua, fui atrás da Halsey e estou muito apegada com o disco. Acho que quando você fez o post comentei que essa coisa electro pop não é exatamente o tipo de coisa que eu escuto, mas nesses últimos meses do ano electro pop é TUDO que eu tenho escutado e tenho adorado a Halsey.

    Agora o que dizer do Kintsugi, né? Me odeio por não ter tido tempo de escrever a resenha dele que eu tanto queria fazer, porque merece demais. Que disco lindo e necessário, como eu estava com saudades do Death Cab das antigas <3 Só de lembrar daquele nosso pequeno delírio de por algumas horas acreditar que eles vinham com a turnê desse disco fazer show aqui quero me atirar no chão e depois atirar com uma bazuca na cabeça do social mídia do Cine Jóia. Rancor extremo até hoje, hahaha.

    beijos!

    ResponderExcluir
  3. OMAM <333333 o BTS tá 250% diferente do MHIAA mas eu amei muitão porque tá com cara de banda foda - não que eles já não fossem - e super conceitual e <Wolves without teeth3

    Gostei do album do M&S mas não ouvi ele inteiro pra ter uma opinião completa .-. mas eu gostie num geral, agora não posso comentar mais nada porque não ouvi, sou muito alienada muito musicalmente haha

    enfim, amei o post e com certeza vou ouvir os outros depois!

    beijo!

    ResponderExcluir
  4. Até coloquei Death Cab for Cutie pra tocar aqui.
    M&S tb tá na minha lista de preferidos (e acho que no meu top 5 desse ano), assim como esse álbum do OMAM. Aliás, já sofrendo de ansiedade pelo Lolla pra morrer de amor com esses maravilhosos e com a Florence. Ela tb nunca me decepciona e esse cd novo tá de chorar de tanto amor <33333 um que ainda não superei (mesmo não sendo desse ano, mas entra pro meu top 5 desse ano sim) é 1000 forms of fear de Sia, amor demais.

    ResponderExcluir

© OH SO FANGIRL
Maira Gall