segunda-feira, 16 de setembro de 2013

My Name is Ozymandias

Se antes eu só havia colocado ele por tempo limitado no lugar do Tio George, agora eu afirmo que ele definitivamente assumiu o posto de Satã. De quem eu estou falando? Do Mr. Vince Gilligan, é claro. He is the devil.


Se no episódio anterior eu não pude piscar nos minutos finais, nesse episódio eu criei alguma patologia cardiológica e nas vistas: os olhos só tinham descanso durante os comerciais, e o coração acelerou de uma maneira que, honestamente, foi difícil de acalmar depois. 

"instead of watching breaking bad episode “ozymandias” just 
run through an endless meadow of legos for the same effect"

Sendo assim, vamos lá fingir que o que vou escrever a seguir é uma review do episódio S5E14 - Ozymandias de Breaking Bad, e não que na realidade eu estou detalhando a causa mortis do meu corpitcho. 

Não posso bancar a bocó e fingir que não esperava por algo extremamente fora do universo nesse episódio. Eu esperava sim. Brinquei com os achismos na última review. Eu já imaginava algumas coisas. Mas nunca, jamais passou pela minha cabecinha que o desenrolar da história se daria do jeito que as coisas de fato ocorreram.

Talvez por causa daquele casting list no IMDB eu tinha uma ilusão que esse episódio seria cheio de flashbacks, só pra nos fazer sentir saudade de tempos mais felizes (rs, brincadeira).

"Meu nome é Ozymandias, rei dos reis:
Contemplem as minhas obras, ó poderosos, e desesperai-vos!"
Nada mais resta: em redor a decadência
Daquele destroço colossal, sem limite e vazio
As areias solitárias e planas espalham-se para longe."
— trecho do poema Ozymandias by Percy Bysshe Shelley

Sendo assim, a primeira cena não deixou a desejar. Foi um tapa de luva. A primeira mentira de todas as mentiras. Todos diferentes. "Felizes". Tempos mais fáceis. Naquela época eles jamais imaginariam que estariam tempos depois no meio de um tiroteio que deixaria mortos e quase mortos pra trás, além, de é claro, deixar os espectadores beirando a loucura. 

Porque se esse episódio não levou todos à loucura, ao menos me levou: 

Eu já imaginava que o Gomez morreria. Eu já imaginava que o Hank morreria. Mas não senti nada quando vi seu ex-parceiro atirado no chão. O que doeu mesmo foi aqueles minutos de tensão onde eu, honestamente, me agarrei ao menor fio de esperança que dizia que o nazi louco não mataria o Agente Schrader. Me agarrei em vão. Porque quando ele atirou e tudo virou slow motion + Walter caindo no chão derrotado, meu coração quebrou. Sério. Escorreram umas lágrimas no canto dos olhos.

"okay you guys remember the red wedding right
imagine an episode of game of thrones opening with the red wedding
and immediately after that red wedding there is another red wedding
and then there’s half an hour of the loved ones of everyone who died in the red weddings going about their business without awareness of the fact that everyone they love is dead
and then there’s another red wedding
and while that red wedding is happening another red wedding happens
and that’s what you missed on breaking bad"

E não pararam por aí. Porque o coração quebrado ainda tinha muito o que trabalhar pra aguentar o que viria depois: a Marie (usando preto, gente. A purple queen tava usando preto!!!!!!! Pra que mais óbvio que isso pra indicar que o luto viria?) toda feliz/preocupada oferecendo ajuda pra Skyler, porque oh-meu-Deus, o Hank pegou o Walter!!!; o Walter Jr. não acreditando em nada daquela baboseira que a mãe e a tia queriam que ele acreditasse. E a reação dele quando pediram pra ele respirar, então? "Really? Really? Try to breathe?" (ou qualquer coisa assim)... Assim oh: #about me. 

Mas se isso já não fosse o bastante (não foi), tivemos também o evil genius Walter White levantando de sua epifania pessoal e ordenando que levassem(/matassem?) o Pinkman. E jogando na cara do Pinkman o quanto, obviamente, ele adorou ver a Jane morrer afogada por overdose. O Jesse, coitado, só não morreu ali porque ele ainda estava marcado de levar uma surra e servir de rato de laboratório com coleira, assim sendo obrigado a ensinar os outros a cozinhar.

"I can’t even call the experience of watching Breaking Bad “entertainment” anymore."

Mas calma, calma! Tem ainda mais. Afinal, voltar pra casa depois de uma conversa que expõe seu pai como um dos maiores traficantes (?) do seu estado, ou talvez a nível mundial, não deve ser fácil. Mas chegar lá e encontrar ele empacotando tudo e ordenando que seu filho e sua mulher façam o mesmo, não deve ter sido muito melhor. E a Skyler não engoliu aquilo. Ela sabia. Ela sabia que seu cunhado estava fora da jogada e que ele, seu marido, queria fugir agora. Ela já sabia o quão perigoso o poderoso Heisenberg era, mas ela não se importou quando partiu com a faca pra cima dele. Porque ele era perigoso, e talvez até mais do que ela pensava. E aquilo já tinha ido longe demais. E foi aí que eu parei na frente do stream tapando a boca com as mãos porque eu não acreditava no que tava assistindo. 

E foi aí, quando o Walter Jr. ligou pra polícia denunciando o violento pai dele, que a casa caiu. Porque por mais que o Walter tenha diversas características de um sociopata, ele não perdeu a capacidade de sentir. E ele sente demais pela família dele. Por mais estranho e bizarro que isso seja, ele se importa demais com a família. 

E é por esse motivo que ele deu para eles um álibi enorme com aquela ligação no final do episódio, e a Skyler entendeu o que ele estava fazendo (falem sério, a Skyler é demais): ele estava transferindo toda a culpa pra ele e excluindo a possibilidade de qualquer resquício respingar sobre a família dele. Por esse motivo ele foi tão horrendo com ela ao telefone, porque ele sabia que a polícia estava lá e que eles estavam com uma escuta telefônica. Tanto é que ele desmontou o celular assim que a ligação acabou. E largou a Holly no último lugar onde eles poderiam localizar ele. 



Porque se no início da série tudo o que ele queria era deixar o suficiente pra sobrevivência de sua família e, assim, protege-la, agora, caminhando para o seu final definitivo, o extremamente bem construído personagem que é o Walter pode ver sua família desmoronando e sua riqueza ser resumida a 1/8 do que era. 

E é dessa forma, como o poema que compartilhei parágrafos acima, que podemos ver o império do grande Heisenberg vir à ruína. 

E agora ficaremos aqui fingindo que vivemos até o próximo episódio. E, hey, episódio S5E15 - Granite: fuck you, I'm not ready. 

Um comentário

© OH SO FANGIRL
Maira Gall