quarta-feira, 28 de agosto de 2013

It's Really About You

Esse episódio merece uma review quentinha, saída do forno, direto pra vocês de forma rápida. Não teve como ficar com preguiça de escrever, não importa que o tempo esteja feio, ou o sono pesado, ou os estudos me chamando, com um episódio feito esse S5E10 - Confessions de Breaking Bad, não há fangirl que não se anime em falar com boca cheia ou dedos ávidos sobre o assunto. Então vamos lá, né?

Eu não sei direito o que estava esperando depois de ver aquela porta se fechando no último episódio. Provavelmente eu esperava mais gritaria, mais ameaça, mais dedo enfiado na cara ou qualquer coisa no estilo old school de Hank e Jesse. Mas não foi o que aconteceu. E vamos ser sinceros, nem precisou acontecer tudo isso, porque o que nos esperava depois era o suficiente para nos matar de ansiedade por um episódio inteiro. 

Primeiro que lá vai Walter White passar maquiagem pra esconder o olho roxo e criar coragem para avisar pro filho que hey, you, the cancer is back. E isso por si só não deve ser fácil, mas Walter White tem medo do que, mesmo? Mas isso não foi nada, porque tempo depois temos o grande Heisenberg sentado no quarto gravando um vídeo (confessional) misterioso. E não sei de novo o que esperei, mas com toda a certeza do mundo não foi o que viria a seguir.

E esse "a seguir" a qual me refiro, é o "a seguir" que veio depois de um encontro nada convencional: família reunida, comida mexicana... Tudo pra ser um ambiente agradável se as condições a qual eles estavam passando não fosse a condição de: químico com câncer que entrou no mundo do tráfico de drogas e sua adorável esposa lavadora de dinheiro versus o responsável pelo departamento antidrogas da cidade e sua adorável esposa (que é irmã da lavadora de dinheiro!) viciada na cor roxa. Meu filho, não houve guacamole que acalmasse o ódio na cara do Hank (e eu juro que eu podia ver ele jogando mostarda nos olhos do Walter a qualquer momento).

Mas um dos maiores plot twist apareceu no "a seguir". Porque na hora de dizer "tchauzinho, cunhado", o gênio do mal Walter White também deixou um presentinho pr'o cunhadinho assistir em casa. E o que era isso? Ah, é. Nada mais do que aquele vídeo confessional que ele havia feito cenas antes. Mas não era nada do que a gente esperava porque adivinha quem era o Heisenberg nesse vídeo? Isso mesmo. Hank Schrader. E quem era o coitadinho, que havia apanhado e sofrido na mão desse grande nome do tráfico de drogas? Isso mesmo. Walter White. Manipulação as its best. E nada esperado. E muito bem feito. E FUCK YOU, VINCE GILLIGAN.

Aí, deixando de lado a parte do Saul choramd, levando soco do Jesse, e todo esse drama, eu vou reservar um espaço pra falar do personagem mais ferrado nessa história toda: o Jesse Pinkman.

Ele parece um cachorrinho que foi chutado e não sabe o que fazer além de ficar parado num canto chorando. E foi mais ou menos o que aconteceu com ele até o final do episódio, onde tudo veio a tona e ele percebeu (ainda mais) que foi feito de idiota e por quem e quando. Porque se aquela parte do deserto (dos gifs abaixo) foi de quebrar o coração, e de nos fazer ter mais nojo e apelar pra relação amor/ódio que temos com o Walter, o final veio pra compensar toda a merda (sorry) pela qual o Jesse passou.



Porque de alguma forma, tudo o que ele se importava ele perdeu no meio dessa jornada que ele teve ao lado do Walter: a Jane, a Andrea, o Mike... E de alguma forma, também, ele percebeu que o culpado de tudo isso foi o próprio yo Mr. White. E mesmo que eles gostariam (Saul e Walter) que o Pinkman tomasse seu rumo em direção ao Alasca, nós todos ficamos bem felizes em ver que isso não aconteceu e está longe de acontecer, afinal, Mr. White is the devil, né?

Então, por favor, set's fire! E S5E12: my body is ready but it really isn't.

Nenhum comentário

Postar um comentário

© OH SO FANGIRL
Maira Gall