sexta-feira, 14 de junho de 2019

Guess who's back by popular demand? (not me)

Ontem meu notebook caiu no chão, não tanto ele caiu como ele quis cair, por vontade própria, depois que eu abri o dito cujo e ele escorregou por trás da escrivaninha basicamente implorando pra fugir de mim (tomar no cu). Naqueles 37 segundos de desespero e xingamento percebi que estava no auge dos vinte e cinco anos, sem economias pra um eventual conserto, pensando que nem tinha feito um post de bem-vinda-de-volta, post esse que ensaiei na sexta-feira passada enquanto brincava de mudar a identidade do meu finado e renascido blógue (este aqui).

O notebook, o segundo em menos de um ano e meio, está bem. Pelo menos por enquanto. Salvei tudo o que pude no HD externo, só pra garantir. E voltei. Quase três anos depois, impulsionada por uma vontade de voltar a escrever qualquer coisa e pra qualquer um ler, indo na contramão a tudo aquilo que vem me deixando nervosa sobre a internet (exposição!!!!!!!) (todo mundo sabe de tudo!!!!!!!!) (você eventualmente será trucidado e tirado de contexto por algo que você falou na internet!!!!!!!!!!), mas colocando fé de que a retomada vai me trazer mais sentimentos bons do que ruins, aqui estou (ainda mais sob a influência de Anna Vitória).

Retomar um broguinho pessoal em 2019, depois de muita exposição entre 2013 e 2016, depois de terminar uma graduação, passar em uma prova ridícula, sobreviver a um término de relacionamento, cortar o cabelo no pescoço, ter meus bens furtados, pintar o cabelo pela primeira vez, fazer uma tatuagem (a primeira), ver a banda da minha vida, algumas muitas crises de ansiedade, ver o Brasil perder na Copa, ver o Brasil perder nas eleições, conhecer mais sobre a minha própria sexualidade, fracassar nas newsletters, começar um tratamento psiquiátrico, me sentir muito mal, depois muito bem, depois mal, e depois bem de novo... Parece estranho. Criar um supercut (- Lorde.mp3) desses (quase) três anos é estranho, relembrar o tanto que aconteceu desde a última vez que apareci por aqui, pensar no tanto que não aconteceu desde a última vez que apareci por aqui... É estranho. Mas a vida anda, a gente cresce, o mundo gira, e já não me sinto mais tão estranha quando percebo que sou Uma Mulher Adulta; não criança, menos ainda adolescente  ̶̶̶̶  por mais que a pele diga o contrário. Não sei de tudo, cada vez me convenço que sei sempre um pouco menos  ̶̶̶̶  porque cada vez há mais pra gente saber, né?  ̶̶̶̶ , não faço ideia de quem eu sou, nem pra onde estou andando, mas eu vou, e estou indo, e agora voltei pra exercitar a despretensiosidade de escrever, compartilhar, registrar just because.

Já não sou mais tão fangirl. Ser fã é horrível e ainda sou fã de muitas coisas, mas já não sinto muito daquilo sentia, não na mesma intensidade, pelo menos. Ainda assim não quis criar um espaço novo pra voltar a falar qualquer coisa para qualquer um ler. Retomar esse espaço, que me fez bem por alguns anos, que tem muito de mim  ̶̶̶̶  até naquilo que eu preferia que não tivesse, no que me faz torcer o nariz pra quem eu fui naquela época  ̶̶̶̶ , fez mais sentido do que recomeçar tudo do zero. Não faço ideia se essa tentativa de voltar a escrever sobre a vida vai dar certo, talvez todos morramos amanhã depois do país implodir em seus próprios termos e tudo isso deixar de fazer sentido. Mas aqui estou: tropeçando, conjugando verbos de forma errada, e levando a vida da forma que dá, que cabe e que serve. Eu disse que voltaria, não disse?



4 comentários

  1. Tô tão feliz que você voltou <3

    ResponderExcluir
  2. QUE BOM QUE TU VOLTOU !!!

    Em letras grandes para mostrar intensidade mesmo.

    ResponderExcluir
  3. Fiquei feliz. Hoje tirei o dia para fuçar em blogs antigos da época do meu finado cinza e laranja. e eis vc por aqui :)

    ResponderExcluir

© AAAAAA
Maira Gall