segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Uhhhhhh twenty t...hree

Então eu não posso mais usar a música da Taylor Swift. R.I.P. época da vida em que eu podia usar 22 como descrição, ou dançar como se fosse minha música porque, de fato, eu tinha vinte e dois. Agora eu tenho vinte e três. 

E esse ano não teve festa. Quer dizer, teve alguma coisinha lá em casa e alguma coisinha fora de casa com os amigos, mas esse ano eu não fui pra festa. Não só porque entro nos vinte e três da melhor forma possível (sem um puto no bolso), mas também porque há algo de muito deprimente em sair do quentinho da minha casa ou da casa do boy pra passar duas horas em uma fila, entrar em um local lotado e estar dormindo em pé às 1h30. A parte deprimente é o final. Uma vez eu aguentava, seja na night baladinha ou seja vendo série até 5h17min da madruga boladona. Hoje em dia não rola não. Realmente, é muito difícil essa coisa de ficar mais velha. 

Mas a gente fica, e levou quase vinte e três anos pra eu admitir que algo ou alguma coisa saiu dos trilhos aqui dentro. Por esse e outros motivos eu comecei a investir em mim mesma e agora, padumtss, faço terapia. É!!! Sim!!! O desgraçamento da cabeça deixa de ser piadinha de twitter quando passa a te paralisar, te estagnar, te fazer perder a vontade de fazer tudo o que tu gosta de fazer e quando a solução e única coisa possível é chorar o tempo inteiro. Tudo tava um bolo de merda confeitado com bosta, um buraco bem fundo, com ar pesado, mas eu manejava muito bem, e mascarava muito bem, até que não deu mais. Não recomendo. A parte boa é que eu percebi isso, talvez um pouco tarde, e quem sabe agora eu melhore. De verdade.

   

Uma outra coisa sobre esses vinte e três anos é perceber que eu não guardo rancor, não sinto ódio, inclusive até nutro um carinho de longe. Sei lá, larguei algumas coisas pro mundo tomar conta, desejando muita sorte e coisa e tal. Mal consigo lidar com as minhas coisas, pra que me deixar mais pesada tentando lidar com coisa que já passou? Vida que segue, é como eles dizem. 

Não tá tudo lindo e maravilhoso, mas a vida tá indo. Mudei a cara do blog pra ver se volto a blogar e adicionei abinhas pra ficar mais interativo. Hoje volto pra faculdade, pra começar meu penúltimo (amém our lord and savior Jesus Christ) semestre do curso. Tenho muito o que fazer nesses próximos meses, e é por esse motivo que decidi não participar do BEDA esse ano  ̶̶̶̶  ano passado eu peguei uma ressaca tão grande que seria capaz de eu desistir de vez dessa vez. Tô tentando controlar a mente pra não me descontrolar tanto, e tô tentando investir meu tempo no que dá certo e me faz bem. Vamos ver no que dá, né?

No mais, comecei a maratonar American Crime Story com o love e sinto que será uma jornada A+. Também tô lendo Carry On da Rainbow Rowell e tô curtindo muito mais do que achei que curtiria (eu não curtia as partes do Simon e do Baz em Fangirl). Tô precisando de músicas novas e aceito indicações. Terminei semana passada de assistir Stranger Things e curti muito a série, inclusive até pari um texto sobre pro Valkirias (mas ele ainda não foi ao ~ar~). Queria ter assistido mais e lido mais durante as férias, não deu, então né, vamo fazê o quê. Ah, é, também tô apanhando muito no multiplayer do Uncharted 4, mas isso já era esperado. 

Pra terminar, meu agosto será cheio e se tudo der certo eu volto pra contar pra vocês. 

13 comentários

  1. Ô miga, cê mudou o blog, que coisa linda! <3
    E amei muito seu logo, mas se você quiser eu termino aquele que comecei pra ti e a vida não deixou eu finalizar, hue. Sério, aí quando tu quiser (se quiser) se usa. Ou não. HEHE

    AH, meus 23 estou há 5 anos no passado e me senti bem idosa agora escrevendo isso. Mas se você não pode cantar Taylor Swift, você tá na idade de cantar Death Cab! "The currency of being twenty-three", ou algo assim, minha memória já não é mais a mesma (q). Eu tenho uma música do The Weeknd, acho. RISOS

    Miga, que seus 23 sejam lindos, independente da trilha sonora. Você é maravilhosa e merece todas as coisas belas desse mundo. <3
    Beijo, beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tô tão tonta que escrevi várias coisas erradas no comentário, DSCLP. Mas acho que deu pra entender? RISOS

      Excluir
  2. Amiga, logo que eu entrei no blog eu dei um gritinho aqui porque TÁ TÃO LINDO <3
    Acho que essa ficha dos 23 é uma coisa real, porque ela baixou demais aqui também. Mas eu confesso que tenho gostado muito mais deles do que dos 22? Não sei se porque 2015 foi um ano desgraçado em que eu fui tudo menos happy-free-confused-and-lonely-in-the-best-way que foi com certo alívio que eu recebi os 23. Mas isso não significa que a gente não possa continuar sendo todas essas coisas que nossa melhor amiga famosa cantou, porque eu acho que no fundo, isso é meio que uma regra pros 20 e poucos anos, e não só pros 22 (se fosse, tava muito fácil). Mas oh, além de cantar Death Cab, você também pode cantar Blink (muito bom ter 13 anos de novo, recomendo à todos). O mais importante é seus 23 sejam especiais, não importa se você está em casa vendo série embaixo das cobertas ou foliando na balada, porque o que importa, amiga, é que você seja feliz. O mundo pode ser um lugar terrível às vezes, mas você é uma pessoa incrível e eu realmente espero que ele te dê muitas coisas igualmente incríveis. Você não merece nada menos que isso.

    Amo você <3

    ResponderExcluir
  3. 1. BLOG TÁ LINDO, SOCORR ♥
    2. Olha, é brabo mesmo, mas terapia ajuda pra caramba. No meu caso, funciono melhor com terapias alternativas do que com as tradicionais, mas a pessoa tem que se cuidar. Chega uma hora em que não tem mais graça tirar sarro da própria tristeza pra fingir que tá tudo bem e levar uma vida relativamente produtiva. Que tudo fique bem, hein.
    3. BEDAr cansa, eu bem sei, mas adoro, não poderia deixar de participar, hahahaha Porém, entendo o porquê tu decidiu não o fazer este ano. Tudo certo, não vamos aloprar pra não ter ressaca depois porque ESTE BLOG TEM QUE CONTINUAR, hahahaha
    4. Tô quase nos 23 e já me sinto uma senhorinha de 2058 anos, mas: que teus 23 sejam maravilindos, cheios das melhores coisas que tu possa desejar.

    Beijos
    ;*

    ResponderExcluir
  4. Miga, força <3

    Acho que a gente perceber que as coisas não estão boas é o primeiro passo pra que elas melhorem. O segundo é fazer algo em relação a isso, e você está fazendo. Espero que a terapia seja boa pra você e te ajude a sair desse casulinho, para que o fim dos seus 23 seja melhor do que o começo.

    Abracinho <3 pro que precisar, estamos aí!
    beijos

    ResponderExcluir
  5. Ana, espero que dê tudo certo pra você e fique tudo bem no fim das contas. O blog tá lindo de verdade e eu torço para que você volte a blogar mais! Um beijo.

    ResponderExcluir
  6. O blog está muito lindo, muito amor <3 Aliás faz séculos que não comento por aqui, mas sempre venho ler suas postagens.

    Ana, espero que com a terapia as coisas melhores, ninguém merece viver mais ou menos, ou só mascarar e empurrar dias, meses e até anos com a barriga. Que tudo fique bem com você.

    Também não esperava gostar tanto de Carry On quando li, mas vi em algum lugar que a autora não escreveu pelo ponto de vista da Cath, mas a versão dela, sua visão nessa trope de "o escolhido". Estou com seu texto de Stranger Things salvo aqui para ler quando sobrar um tempinho, mas agosto tá sendo corrido e este ano decidi participar do BEDA, pelo menos uma vez, pra ver como é brincar de ser blogueira. Haha.

    Um abraço.
    Ju.

    ResponderExcluir
  7. Respostas
    1. OIE! Adorei o layout do blog, amo roxo e achei que ficou a tua cara! <3

      Fiz alguns meses de terapia e posso dizer que, apesar da minha psicóloga ser meio blé, foi muito bom! Acredito que vai te fazer super bem.

      E, poxa, Stranger Things é muito amorzinho! Terminei, literalmente, em uma sentada - passei o domingo todo assistindo e estou apaixonada <3 E por fim, sobre o BEDA, estou tentando, mas despretensiosamente, sem muita neura ou cobrança HAHAHA

      Beijão ;*
      Vic

      https://victoriafelet.blogspot.com

      *Re-comentando por motivos de: errei umas palavras no comment anterior HAHAHAHA*

      Excluir
  8. Não faço festa nem reunião em casa no meu aniversário há dois anos, então acho que te entendo. Também não tenho paciência pra balada mais não, e olha eu (ainda) não cheguei aos 22.

    Terapia é muito bom mesmo, fiz alguns anos atrás. O problema é que atualmente eu tô precisando de novo. Espero que tu fique bem. Espero que nós fiquemos bem. ♥

    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  9. OIE! Indiquei seu blog para uma tag literária :)

    https://victoriafelet.blogspot.com.br/2016/08/tag-o-poderoso-chefao.html

    ResponderExcluir
  10. Se você já não tem paciência pra balada-fila-e-derivados com 23, espere até você chegar aos 33. Nem te conto. ;)

    Parabéns viu?

    ResponderExcluir
  11. a vida é essa coisa louca mesmo. e antes tarde do que mais tarde pra gente enxergar quando pedir ajuda, quando mudar uma coisa ou outra, quando deixar ir... não é?

    beijos de luz

    ResponderExcluir

© OH SO FANGIRL
Maira Gall