sexta-feira, 6 de maio de 2016

Abram as janelas

Ou: Um Post sobre Etiqueta no Transporte Público

Não, sério, abram as janelas. Por favor, abram a porra das janelas. Façam isso porque sim, eu sei que está frio, mas está muito pior com todas. As. Janelas. Fechadas. Não me entendam mal, colegas de lata (não aula, não trabalho, mas lata mesmo). Sei que somos todos sardinhas aqui dentro. Espremidos. Apertados. Quase empilhados nesse ônibus pequeno demais, com assento de menos, pra todos nós. Mas abram as janelas. Deixem o ar correr e levar pra fora esse ar viciado e quente (comer vidro deve ser mais agradável do que respirar quente), levar pra fora esse montão de vírus acumulado aqui dentro. Por favor, façam isso antes que eu comece a, de muito longe, olhar pra todos os lados, com o coração acelerando, pensando que vou morrer sem ar e doente porque está tudo fechado. Seth Cohen me olharia com pena e compreensão, porque sabe, é uma merda. Abram as janelas porque até os vidros estão suados pedindo misericórdia (e eu também).

Uma dica para o rosto gelado é carregar protetor e hidratante dentro da bolsa. É melhor hidratar do que pegar gripe. Dói o nariz? O frio? Dói sim. Mas dói mais ver tudo fechado. E de novo, amigos, não é pessoal. Eu preciso deixar algumas frestinhas da persiana aberta todas as noites, porque na minha cabeça ou eu morrerei sem ar se não fizer isso, ou eu morrerei sem ar se não fizer isso. É louco, meio maluco, e nada pessoal. Dentro de carros eu faço isso também. Nem que seja a largura de um dedo, mas preciso saber que por algum lugar o ar (não tão) limpo está entrando. Abram as janelas, pelo amor de Deus. 

***

Movam-se. Eu sei, o ônibus está lotado, todos os assentos estão ocupados, a cada curva é uma emoção sabendo que você até poderia cair não fosse todos esses corpos juntos, ocupando o mesmo espaço, o que não dá nem chances de você atingir o chão. Mas movam-se. Eu sei que esse espaço depois da catraca é um pouco maior que o resto do ônibus, mas olhe ao redor: há espaço livre lá atrás, há pessoas tentando passar pela catraca, use esse seu corpinho e mova-se. Ande. Vá até lá atrás, abra lugar, pelo amor de tudo o que é mais sagrado. Dá licença, demônio. 

***

Aquele banco tá molhado? Isso, o banco da janela está molhado? Quando chove às vezes acontece isso. Tudo bem, coisas da vida, mas ei, aquele banco da janela está molhado? Não? Então me diz porque diabos você está sentado no banco do corredor e trancando o acesso do banco da janela? Você é otário sempre ou só quando usa transporte público? "Ain mas a pessoa pode pedir licença pra sentar ali"? Sim, e você pode pedir licença pra sair. Mas que merda.

***

Ei. Pera lá. Por que você tá vindo na minha direção? Ihhhh. Que isso. Olha esse ônibus vazio, sério que você vai sentar do meu lado? Ah, fala sério. Não faz isso não. Porra meu, pra que fazer isso. O ônibus tá praticamente vazio... (a situação é amplamente desesperadora se a pessoa em questão for um homem).

***

Essa semana presenciei uma Daquelas Pessoas™  que se acham donas da razão mesmo quando estão erradas. A menina, no auge dos seus vinte e cinto anos (um chutezinho básico), discutia com o motorista (amoreco, pára de falar com o motorista), com todo o afinco o quanto ela estava certa em ficar sentada nos bancos antes da catraca, e como uma mulher idosa tinha sido idiota com ela, batendo boca no meio do ônibus, porque ela ficava sentada nos bancos antes da catraca.

Sua justificativa era que uma mulher muito mais idosa e com uma filha com Síndrome de Down haviam passado pela catraca e ido sentar nos muitos bancos livres que haviam nos fundos do ônibus. E fizeram isso sem reclamar!!1!!!1 Olha que pessoa mais graciosa aquela senhora passando trabalho desnecessário só poRQUE EU QUIS SENTAR NA FRENTE!!1!! 

Minha vontade era mandar ela comer um calabokitos, tirar a cabeça do rabo e parar pra pensar que ela. Não. Tinha. Razão.

Bancos na frente da catraca, pra mim, são pra pessoas que tem dificuldade em passar por ela. Idosos, obesos, pessoas com crianças pequenas. Não pra uma marmanja saudável que poderia muito bem passar pra parte de trás do ônibus – que pasmem, estava quase vazio.

Não sei que tipo de orégano essas pessoas fumam pra achar que uma situação dessas é ok e aceitável, e que elas tem razão.


Obs.: Oi gente, agora eu tenho um site! Com as minhas amigas! Sobre cultura pop e feminismo! SIMMM! Acessem lá: valkirias.com.br. ♥

7 comentários

  1. Como diz aquela citação: "O mundo não é ruim, só está mal frequentado."

    ResponderExcluir
  2. Ônibus é uma coisa horrível mesmo, mas não trocaria por um carro.

    Aqui em Curitiba o sistema é muito bom, porém nos horários de pico lota tudo e a vontade de sair chutando todo mundo é enorme. E eu não se se me incomodo mais com as pessoas que ficam com a mochila nas costas ou com aqueles dias nos quais a mobilidade dentro daquela lata tá tão reduzida que EU não consigo tirar a minha mochila das costas.

    Difícil.

    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  3. Morri de rir com o comentário da Vanessa!
    Tenho o mesmo toque com as janelas, nem é por me sentir sufocada, é só por ser neurótica e imaginar milhares de bactérias e vírus invadindo meu corpo.

    Confesso que fiquei com um pouco de peso na consciência quando li sobre pessoas que sentam ao lado do corredor mesmo com os dois bancos vazios porque sou dessas, desculpa :(
    Em minha defesa: fico com medo de homens sentarem do meu lado e algo ruim acontecer, na minha cabeça se eu não sentar na janela pelo menos vou ter pra onde ir (triste ter que pensar essas loucuras todas, né?)

    Novembro Inconstante

    ResponderExcluir
  4. É MUITO desesperador estar num ônibus com as janelas fechadas. Jesus! E quando alguém espirra? Já prendo a respiração na hora. As pessoas preferem pegar mil vírus do que passar um friozinho por 20 minutos. Eu abro todas as janelas e se não está no meu alcance eu peço para abrirem e digo que to gripada porque daí as pessoas se assustam. Hahaha Tenta isso, amiga, vai ser sucesso!
    <3

    ResponderExcluir
  5. Nossa, a janela fechada me deixa maluca mesmo! Eu sinto um certo pânico, me falta o ar, eu penso em doenças circulando no ônibus Oo.
    Ônibus é uma coisa complicada, eu queria muito entender o que acontece com algumas pessoas que parecem ficar possuídas por algum espírito da babaquice quando entram na lata... :(

    Adorei o post!
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  6. Janela fechada me incomoda em qualquer situação. Que coisa horrível as pessoas pensarem que com tanto caso de H1N1 e dengue acontecendo ficar com janela fechada é uma opção!
    E essa falta de bom senso não é só no ônibus, infelizmente. Sempre tem um que senta NO MEIO DO BANCO na praça/colégio mesmo só pra ninguém sentar também, tem gente fazendo fila pra furar a fila porque tá com preguiça de respeitar quem chegou antes, tem gente que faz a egípcia quando vê mulher grávida ou com filho pequeno tendo que se virar nos 30 no mercado... Complicado. Tem horas que dá vontade de imprimir um "guia de como viver em sociedade" e espalhar pelas ruas.

    Beijão!

    ResponderExcluir
  7. Com esse texto eu meio que senti a aflição da minha mãe, entendi o horror dela por janelas fechadas. Mesmo aqui, na segurança do meu quarto de fresta aberta na janela me senti sufocada. Acho que não há nada que eu odeie mais do que pessoas no banco do corredor com o da janela livre... Mentira, tem sim, odeio bem mais quem senta ao meu lado com diveeeersos bancos disponíveis. Gente, que agonia! Sobre a guria do fim, eu nem me admiro, sabia? Aqui no Brasil o desrespeito é algo rotineiro, as pessoas precisam de um Semancol! Me identifiquei e adorei o blog. ♥

    Carinhosamente, Jheni. Quinze Outonos

    ResponderExcluir

© OH SO FANGIRL
Maira Gall