sexta-feira, 6 de março de 2015

A problemática da bagunça

tipos e tipos de bagunça, eu bem sei. Certas bagunças colocam as coisas no lugar. De certas pessoas bagunçadas tu não consegue se afastar — e nem quer. Mas têm bagunças que não tem como evitar. Ou pior: lidar. 


Preciso confessar: eu não presto no meio de certas bagunças. Pra eu poder ver TV em paz, ir no PC ou ler, as coisas perto de mim precisam estar organizadas. É meio que um vício. É meio Monica. Mas é verdade. Se eu sei que as minhas roupas não estão ajeitadinhas do jeito que tem que ser dentro da gaveta ou do armário minha mente tá sempre com um alerta neon piscando que diz: você precisa ajeitar isso, você precisa ajeitar isso. Se eu vou dormir e minha cama está um pouquinho torta eu não consigo pegar no sono até que levante e coloque ela no lugar. 

Esses dias fiquei sozinha em casa e provando que a lógica tá toda errada, em vez de dançar de calcinha e ficar sem fazer nada, fui limpar a casa a todo vapor. E o pior é que nem me importo. Me dê paz e música alta e eu posso ficar organizando tudo da manhã a noite. 

Parece até uma obsessão, e talvez até o seja, de querer consertar tudo o tempo todo. Colocar tudo no lugar o tempo todo. Mas têm coisas que não dá pra ajeitar. Tu tem que aceitar pelo que é, como é, ou simplesmente desistir daquilo de uma vez por toda.

Claro, pras Monicas da vida, isso é meio difícil. Só não é impossível. 

O problema com a bagunça, ou com esses dois abismos entre x bagunça e y bagunça é que tu nunca sabe com qual das duas tu vai conseguir conviver. 

Pra exemplificar, esses dias fui numa janta aleatória que foi bem bagunçada mas que conseguiu, finalmente, alinhar as coisas. Uma bagunça boa. No entanto conheço gente que deve ser paga pra querer bagunçar as outras pessoas. Uma bagunça pra evitar. Aqui, obviamente, a linha não é tênue e dá pra escolher de boa. Mas nem sempre é assim. 

Hoje penso que nessas bagunças da vida a gente tem que ponderar muito bem quais a gente quer e consegue ajeitar, quais a gente aceita do jeito que é e quais a gente tem que varrer pra longe pra nunca mais ver. 

Eu, felizmente, tô com as minhas bagunças muito bem escolhidas. 

E super recomendo.

8 comentários

  1. Ei Ana! Tem certas coisas que eu não aturo também, tipo dormir com a cama torta. Só de ler seu texto eu me arrepiei, todo dia antes de deitar eu confiro se minha cama não está fora do lugar, e encaixo ela direitinho, entre a cabeceira e a parede, hehe. Em compensação minhas gavetas tem vida própria e são a última preocupação da minha vida. Se a estante de livros estiver organizada tá tudo bem, hahah.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Eu que sou bagunceira, me escondo onde? Acho que você teria um surto psicótico se entrasse no meu quarto, hahaha. Algumas coisas, claro, me incomodam mais que as outras: não sei lidar com papelada espalhada e com livros fora de ordem (ainda que os meus, mesmo arrumados, estejam sempre meio caóticos), mas consigo passar uns bons dias com pilha de roupa na cadeira do computador (aí eu levo o notebook pra sala, olha que coisa). Mas uma bagunça impeditiva pra mim é da cozinha, não sei lidar com cozinha bagunçada. Até pra passar café eu preciso lavar toda a louça, guardar tudo que está fora, passar pano no balcão, enfim, deixar a coisa brilhando pra conseguir começar.
    No fundo a gente é tudo bem doida, né?
    beijos

    ResponderExcluir
  3. Eu sou muito bagunceira, mas definitivamente não consigo lidar com certas bagunças. Tipo quando rola festa na minha casa e sobra uma bagunça enorme, ou quando meus amigos vêm passar o dia aqui e começam a bagunçar pelo simples prazer de bagunçar e eu tenho vontade de perguntar se eles não receberam educação em casa (?). Quem vê até pensa que sou uma pessoa que preza pela boa organização, mas basta uma espiada no meu quarto pra ver que eu só sou chata mesmo nessas situações. Ou quando minha mãe decide colocar minhas roupas que ficam jogadas pelo quarto dentro do closet, de qualquer jeito. Até semana passada, eu tinha uma cadeira no quarto que servia exclusivamente pra eu jogar minhas roupas em cima. Agora que ela se foi, jogo tudo na cadeira do computador mesmo e aí saio vagando com o notebook pela casa, procurando por um cantinho que eu possa ficar. Agora, por exemplo, tô na minha cama, mas só porque eu tenho a sorte de ter uma cama de casal, de modo que posso jogar a bagunça toda pra um lado e me acomodar no outro. Um exemplo de pessoa (não).

    beijo!

    ResponderExcluir
  4. Eu sou a louca dos alinhamentos, não sei se é algum tipo de TOC, mas ver todas as coisas simétricas e milimetricamente alinhadas me dá uma alegria de viver, um contentamento hahaah Meu sonho é viver dentro de um filme do Wes Anderson <3 Outra coisa que já notei é que adoro organizar a bagunça alheia (bisbilhoteira mesmo), arrumo estojo, organizo livros na estante e cosméticos na pia dazamiga, até mala de viagem eu to fazendo, mas o que é meu nem dou tanta bola assim. Vai entender hahaha

    Beijo!

    ResponderExcluir
  5. Sabe aquela coisa de bagunça organizada? ENTÃO. Para todo mundo parece bagunça. Mas se alguém tirar uma coisinha do lugar eu saberei e me sentirei mal até que aquela coisinha esteja de volta a seu lugar. E não farei nada direito até que aquilo seja consertado. Ou seja: dá cá um abracinho que eu super te entendo. ♥

    Beijo ;*

    ResponderExcluir
  6. Eu sou o completo oposto
    Se você abrir meu guarda roupa provavelmente vai infartar!
    E no meu caso, nem rola essa coisa de "é bagunçado pra você as organizado do meu jeito"
    Tenho um pensamento simples: se eu posso dormir e alinhar tudo, JÁ TO NA CAMA

    Novembro Inconstante

    ResponderExcluir
  7. Aaaaaana, também tenho meu lado Mônica, sabe? Às vezes eu fico de boa com a (minha própria) bagunça, mas às vezes tudo me dá muito nervoso e eu preciso sair ajeitando tudo. Na época da monografia, antes de escrever eu precisava organizar o quarto inteiro; quando eu fico sozinha em casa também preciso organizar tudo antes de me sentir em paz pra fazer o que der na telha. Mas quando tem mais gente, não tenho esse problema. Acho que o meu problema é com a MINHA bagunça, quando é dos outros está ok (mesmo que seja no meu espaço). Vamos ver como vai fica agora que estou de mudança.

    Sobre essa divisão entre as bagunças, acho que eu estou aprendendo agora quais são aquelas que não têm jeito mesmo e a única solução é varrer pra fora da vida. Me deseje sorte.

    Beijos.

    (p.s. não sei se você já viu que mudei de blog, então não custa avisar.)

    ResponderExcluir
  8. Sou uma bagunceira assumida! Porém, as vezes me perturbo com a bagunça e dou uma geral e deixo as coisas arrumadinhas por um tempo.

    ResponderExcluir

© OH SO FANGIRL
Maira Gall