domingo, 28 de setembro de 2014

Pilots, pilots everywhere

Até usaria a expressão "criança em loja de doce" pra explicar minha situação diante de tantos pilots que têm saído. Não posso usar essa expressão porque eu fico besta em loja de doce e eu não sou mais criança (se bem que a gente pode discutir sobre isso).


Então nas últimas semanas meu eu-fangirl passeou pelo nirvana da vida seriadora quando pus a mão em vários pilots munitinhos (ou não), saídos direto do forno pra mamain. 

E por mamain eu digo eu. 

Esse ano posso dizer que fui compensada pelo lixo de fall season que foi o ano passado, e agora aqui estou pensando: tô ferrada, não vou conseguir ver tudo.

Mas comecemos pelo começo.

Da minha to-watch list eu só não assisti Gracepoint (ainda e porque não saiu). O resto já tá com o check do lado no Banco de Séries (sim, tive que migrar do Orangotag. RIP.).
Mas mais que esses, acabei assistindo algumas outras coisas que apareceram no caminho.



Como esperado, A to Z é pra matar de fofura e cafonice qualquer um. Eu espero muito, muito, muito que não flop porque eu tenho um amor gratuíto (no meio de tantos ódios/desgostos gratuítos) pela Cristin Milioti e só de pensar em ter ela na telinha semanalmente eu já fico contente. Não faço nem ideia de como eles vão estender a série caso ela dê certo, mas só espero que dê.




Selfie deu uma decepcionadinha, mas nada grave. Achei o ritmo muito rápido e me perdi durante alguns momentos do episódio. Adoro a Karen, mas a Eliza é muito sem noção. Sério. Vontade de dar uns tapas pra acordar pra vida. E o Henry também merece uns outros tapas. Os dois são opostos extremos, e por serem extremos, tão errados. Vou continuar assistindo porque sim, acho que tem como melhorar. Acho que até vai melhorar. Veremos.



Assiti Gotham também, e queria ter curtido mais do que realmente curti. Achei que o Ben Mackenzie até chega a convencer, milagrosamente, mas eu não simpatizei com nenhum personagem além da garotinha/Selina (que eu descobri que tem QUINZE anos e uma cara de mulher que eu jamais terei???). A série é bem produzida, visualmente linda, mas eu achei o pilot super cansativo e não dividi lugar com as pessoas que acharam ele tudo isso. Vou dar mais uma chance e tentar assistir os próximos episódios, mas aposto algumas boas fichas que vai ser mais uma daquelas séries que as pessoas vão começar a reclamar depois de um tempo por serem repetitivas.


The Cosmopolitans eu assisti única e exclusivamente pelo Adam Brody. Sim, eu sou esse tipo de vendida mesmo. Primeiramente: eu vou continuar assistindo pelo motivo pelo qual fui comprada. Mas gente, que série pretensiosa. Não senti nada de leve embora ela pareça ser, e achei que todos os personagens vieram com sal e pimenta faltando na personalidade. Todos aqueles diálogos e situações foram extremamente forçados e desconfortáveis de assistir. Espero muito que ela melhore nos episódios seguintes.



Com diálogos clichês, e uma realidade totalmente irreal, eu comecei assistir Red Band Society, e pretendo muito continuar. A série tem uma vibe meio Glee, meio It's Kind of A Funny Story. Nunca vi pessoas doentes parecendo tão bem. Sério. Curti a Kara, a Jackie e a enfermeirinha ruiva. O resto achei meio dispensável, embora o Leo esteja crescendo no conceito. Enfim, mais uma vez: veremos. (ps.: meu quarto saudável jamais será 1/3 as cool as o quarto dos doentinhos).


E salvando por último a melhor estreia que eu assisti, eu preciso falar de How To Get Away With Murder. Eu confio na Shondanás. Sim, ela é uma diaba capaz de estraçalhar corações e que nos faz querer morrer de frustração. Mas ela também consegue superar expectativas e inovar e nos fazer querer nunca mais sair da Shondaland. Eu já espera algo grandioso da nova produção dela, mas HTGAWM veio derrubando forninhos, e introduzindo personagens cheios de personalidades e peculiaridades, super bens escrito e com mais dimensões do que os tipos que a gente tá acostumado a ver todos os dias. Além da super mega talentosa Viola Davis, a  série tem muito rosto conhecido. Tem a Paris. Tem o August. Tem a Maggie. Até o Bennett, tem. A Shonda sempre escala muito bem o elenco das séries dela, então nada menos era esperado. O pilot é super bem construído, tem um ritmo ótimo de acompanhar, tem uns flashbacks bem "divertidos", e ~plantou~ bem todas a sementinhas pra, pelo menos nessa temporada, crescer de forma maravilhosa.


Ainda tem mais umas coisinhas que passei o olho e quero assistir, tipo Manhattan Love Story, mas ainda tenho que esperar.

Planejo fazer outro post comentando as séries que voltaram, só vou precisar que elas VOLTEM antes.

Se eu pudesse indicar só uma dessas, com certeza eu iria com a última. Por sinal, assistam. Eu quase prometo que vocês não se arrepender. E se vocês se arrependerem, eu assisto qualquer coisa que vocês quiserem que eu tente assistir. Pode ser? Combinamos assim?

4 comentários

  1. Acho que na fall season passada só assisti Reign, que eu gosto, mas não amo. Na de 2011 eu comecei a assistir 987 séries, mais ou menos, e depois disso me prometi que ia ser mais cuidadosa hahaha

    Assisti à maioria dos trailers (pelo menos da tv aberta) da fall season desse ano pra escolher as minhas novas apostas. Por enquanto, só vi o piloto de A to Z, mais porque é muita alegria poder ver Ben Feldman e Cristin Millioti semanalmente na tv. Achei fofinho, mas não sei se vai durar.

    Das outras séries que você citou, cogitei e desisti de Gotham e estou quase me rendendo a How to get away with murder. O trailer era ótimo e TODO MUNDO tá amando e elogiando, mas tenho uma preguiça das séries da Shonda... #dilemas

    Fora isso, também estou à espera de Gracepoint, que foi uma das que mais me chamou atenção.

    Beijo!
    PS: vou te adicionar do Banco de Séries, tá?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu comecei Reign também, achei bom o começo e depois fiquei de cara, tudo me irritava, abandonei com dois eps faltando pra season finale. Acho que só aguentei o que aguentei porque todo mundo é muito bonito naquela série.

      Tô achando que não vai durar mais que uma temporada, mas espero que dure. Achei tão fofo.

      Olha, eu já vi outras pessoas com esse mesmo dilema~ que deram uma chance e curtiram. E tem uma vibe bem diferente das outras coisas que a Shonda faz. É muito boa.

      Eu quero Gracepoint só pela Anna. <33

      Ps.: te aceitei!

      Excluir
  2. OMG, mais uma fã de How To Get Away With Murder! Essa série até agora está diva (apesar de eu ter gostado mais do pilot que do epi. 2). Não embarquei em nenhuma outra estreia pq minha lista de maratonas no banco de Séries tá grandinha já, sem contar minha geladeira ~~
    Bjs
    sete-viidas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Dessa sua lista eu assisti gotham (por causa do ben mas nem ele me convenceu), red band society (insira aqui todo meu amor por series adolescentes totalmente fora da realidade) e htgawm, as duas ultimas com certeza continuarei. Também vi Scorpion é meio um tbbt só que em vez de comédia tem drama e pretendo ver selfie e a to z (vida social pra que?). heheh
    te adicionei no banco de séries.
    Beijos, Ju

    ResponderExcluir

© OH SO FANGIRL
Maira Gall