domingo, 23 de fevereiro de 2014

#2 Aquece Oscar 2014

Continuando a minha série de posts totalmente sem criatividade e por esse motivo dividido em vários mini ("mini") posts, lá vamos nós pra mais algumas pseudo-reviews extremamente chorosas, pessoais e nada acadêmicas de alguns filmes que estão concorrendo ao Oscar 2014:

THE WOLF OF WALL STREET
(5/5)
Indicado em 5 categorias
(Best Picture; Actor - Leading role; Actor - Supporting Role; 
Directing; Writing - Adapted Screenplay)
Honestamente, desse filme, eu não sei nem o que falar. Eu fui sem saber do que se tratava (como a grande maioria dos outros filmes do Oscar) e terminei boquiaberta. O filme é longo, mas diferentemente de outros filmes mais curtos (cof cof American Hustle), esse flui. Admito que não assisti tudo num dia porque ando num espírito de 75 anos e acabo pegando no sono sempre que paro pra assistir qualquer coisa. De qualquer forma, o filme é tudo isso. Não tenho muitos filmes do Scorsese pra usar como parâmetro, mas esse é demais. É quase uma piada bem dirigida, e bem adaptada, sobre o mundo atual: vamos aplaudir, endeusar e acreditar em quem não presta (but not really). O filme é todo cheio de palavrões, gritaria, drogas e sexo, além de ser narrado em primeira pessoa pelo imoralmente incorreto Jordan Belfort. Ou seja, quase comum a primeira vista; nada comum depois de assistido. Tem tanta cena tão estupidamente estúpida (eu ainda dou risada da cena do DiCaprio e do Hill brigando depois de muita bala), que tu fica se perguntando como alguém tão idiota conseguiu, mesmo que ilegalmente, tudo o que conseguiu. O Leonardo DiCaprio provou mais uma vez que quem tá errado é a academia, e não ele por não receber prêmio algum. Tirei o chapéu (que eu não uso) pra atuação do Leozinho.


DALLAS BUYERS CLUB
(4,5/5)
Indicado em 6 categorias
(Best Picture; Actor - Leading Role; Actor - Supporting Role;
Film Editing; Makeup & Hairstyling; Writing - Original Screenplay)
Ambientado lá na metade dos anos 80, o filme conta a história do eletricista caubói cabra macho Ron Woodrof que é diagnosticado com AIDS (a doença dos gays) e tem o grande futuro de somente 30 dias pela frente. A história é impecável. Trabalha bastante a temática do preconceito, indústria farmacêutica e seus óbvios intere$$e$ e a luta de quem era diagnosticado com a doença na época. Não consigo colocar em palavras a atuação de outro mundo que o Matthew McConaughey e o Jared Leto entregam pro público. A Jennifer Garner também faz um papel muito interessante, mas que acabou sendo ofuscada pelo talento da dupla principal já mencionada. Pra mim, o Jared já tá com o prêmio em casa. Já meu coração tá muito dividido entre o Matthew e o DiCaprio, e por mim poderiam dar um prêmio pra cada um e tava tudo certo. Enfim: assistam.

HER
(5/5)
Indicado em 5 categorias
(Best Picture; Music - Score; Music - Song; 
Production Design; Writing - Original Screenplay)
 
 Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh. *gritos infinitos* Eu não assistia um filme tão delicinha assim desde... Muito tempo. Eu já imagino que não leve lá muito prêmio, se é que leva algum, mas no meu coração você é o campeão, Her. <3 Eu amei tudo nesse filme. T-u-d-o. As atuações, a fotografia, a soundtrack, a história, os dilemas pessoais dos personagens, os quotes... Tudo. Ele é simplesmente super amável. E bem original. Tem Theodore, aquele que não consegue superar um término de relacionamento. Tem a Samantha, um sistema operacional "que promete ser uma entidade intuitiva e única", feita pra entender o seu dono. E tem eles dois "juntos". É no futuro. São as pessoas lutando, incansavelmente, pra serem escutadas, compreendidas e amadas. Só que da forma totalmente errada. Virtualmente errada. E tão errada que o filme acabou e eu quis deletar todas as redes sociais e sair por aí conhecendo gente "real" (não aconteceu, é óbvio).
Depois que soube, porque até então eu não sabia, que o Spike Jonze foi casado com a Sofia Coppola, eu quis assistir Lost in Translation e depois Her e depois Lost in Translation e depois Her e nunca mais parar de assistir esses dois filmes, que pra mim, parecem super sentimentalmente conectados. Além de tudo, tudo o que queria fazer no final do filme era abraçar o Theodore e dizer que tudo tá certo, tudo tá bem, eu juro que você não tá sozinho! Her pra mim foi como respirar um ar puro depois de muito tempo enfiada numa sala respirando o mesmo ar enjoado. Lindo.

4 comentários

  1. ai que vontade de ver Her e Dallas agora, gente, vou indo baixar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Her foi pros filmes favoritos assim que acabou. Amei tanto, tanto, tanto. Dallas Buyers é MUITO bom. Assista os dois que tu não vai te arrepender. <3

      Excluir
  2. Muito legais suas reviews! Clube de Compras eu baixei essa semana e pretendo ver hoje, estou bem curiosa. "Ela" é muito amor, entrou pros meus preferidos.
    boa semana :)
    ;**

    Red Behavior

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 'Brigada. :33 Ela é muito amor mesmo, quero assistir de novo quando sair no cinema (da roça da minha cidade).

      Excluir

© OH SO FANGIRL
Maira Gall