segunda-feira, 21 de março de 2016

Burrito of sadness

Dias desses eu comi burrito pela primeira vez na vida. Foi uma experiência boa, apesar de pesada. Pensei que meu estômago e afins não iria aguentar aquela comida mexicana cheia de arroz, feijão, carne e molhos temperados, tudo junto e misturado. Mas aguentei, porque meu corpo às vezes me surpreende. Não colocar tudo pra fora, eu que sempre tive estômago sensível, foi um tipo pequeno de vitória. 

Eu tinha ido passear com uma amiga, procurar uma mala pequena pra minha viagem da semana seguinte, e deu tudo muito certo, milagrosamente. 

Mas as coisas dão certo até que elas não dão, né? 

Na quinta-feira retrasada precisei visitar o fórum da cidade, mas o mundo virou na hora, e chuviscava, e ventava, e eu, com jeans, malhas e tênis, queria me esconder atrás da minha pastinha e do meu processo enquanto esperava o ônibus de volta ao escritório. O ônibus voltou lotado, mas eu cheguei no escritório... Pra perceber que o pessoal do fórum, com quem eu nunca tive problema, me entregou o processo errado. Então eu voltei lá (de táxi, dessa vez, porque a chuva era mais forte). Chorei as pitangas pra servidora que ficou horrorizada com o que tinha acontecido. 

E sabe, mesmo que eu tenha passado frio, tá tudo bem, eu não vou ficar mal. Minha garganta arranhava um pouco, mas no momento que pisei em casa eu fui beber um café quentinho, e mais tarde tomar vitamina C e desejar, com tudo isso, que desse tudo certo amanhã, porque amanhã as coisas vão dar certo.

***

Acordei às 6h30 da manhã pra poder tomar banho e sair uma hora depois rumo a capital pegar um voo previsto pras 11h55min. Que horas o voo saiu? Depois das 15h. São Paulo foi lavada por chuvas, tudo virou um caos, nem os aeroportos sobreviveram, e um dia depois todo mundo ainda sentia os estragos causados. 

Mas sabe, tudo bem, vai dar tudo certo. Vai dar tudo certo, mesmo que tenhamos perdido o primeiro shuttle gratuito de Guarulhos até Congonhas porque tinha muita gente na nossa frente. É ok esperar uma hora até o outro, e mais ok ainda levar uma hora e meia até Congonhas. Eu fingia que era irrelevante que o ônibus estivesse um iglu de tão gelado. 99% na fé que ia dar tudo certo, mas aquele 1%...

Chegando no nosso apezão (esse sim não decepcionou), o chuveiro não esquentava. Malditos chuveiros a gás. Eu não tinha nada quentinho pra usar, então rezava poder dormir uma boa noite quentinha de sono e acordar 100% no outro dia. Eu me convencia que estava tudo bem, mesmo que tenhamos pedido uma pizza que foi a pior experiência da minha vida. Alguém deveria ensinar São Paulo a fazer comida decente, porque as que comi foram de medianas a péssimas. For a pessimist, I'm pretty optimistic, já canta minha bandinha.

No outro dia eu acordei com tosse, garganta arranhando e uma afta diaba na boca. Tudo bem, vou comprar pastilha, vou melhorar, vou assistir Of Monsters and Men, e Mumford & Sons e Halsey.

Mas correr de um lado pra outro naquele estado não foi muito bom. Nem ter que usar capa de chuva como casaco porque o frio que eu sentia era tanto que eu batia queixo. Nem ter que esperar, depois, passando ainda mais frio, uma hora e meia até nossos amigos do ap aparecerem com a chave. Eu tava que era o diabo. Parecia mal humor, mas era só doença que se aproximava.

Dia seguinte eu acordei pior e comecei a tomar remédio na esperança de que fosse algo simples e logo melhorasse. Fui obrigada a comprar meia calça pra não passar frio e ela me apertava mesmo sendo a indicada pro meu tamanho. Fuck you, Forever21. Cheguei no autódromo e fizeram eu rasgar um pacote lindinho de coisas que eu havia comprado de presente na Lush. Ingênua. Então fui passar meu ingresso pela catraca, pra plmdds, deixar a zica toda pra trás. O que aconteceu? Ele não aceitava. Foi A+ ver todos meus amigos passando e eu ser mandada pra tenda dos fracassados que os ingressos marcavam NÃO ENCONTRADOS. Engoli muitas lágrimas de frustração naquele momento, minha vontade era mandar tudo e todos pra pqp e voltar pra casa.

Fui assistir Florence sentindo a cabeça pesada, o nariz escorrendo, e uma tosse que mais parecia a morte. Mas ok, depois de muito empurra empurra e chuviscos, Florencia me abençoou e grazadeusa no outro dia deu tudo certo com o shuttle (apesar da correria que me deixou sem ar) e o voo (apesar das dores impossíveis que senti durante ele).

Cheguei em casa (casa casa, a minha casa) e o peso das coisas darem tão errado bateu forte e eu fui dormir chorando. Porque sou madura, porque eu choro quando fico doente, eu choro quando sou deixada de lado, eu choro quando as coisas não saem como o esperado.

(créditos)
Me arrastei por uns dias, faltando aula e pensando em como tinha me enfiado naquela furada. Fui pro plantão porque, Dr., não guento mais (e porque minha chefe disse que eu estava horrível e mandou eu ir). Resultado? 14 dias tomando antibióticos e anti-inflamatórios, e aqui jaz a pior crise de sinusite que já tive na vida. Todo o meu rosto dói, até minha gengiva dói, minha cabeça parece um tambor cheio de eco, e olfato e paladar é algo que eu sinto saudade de ter. Me sinto drogada o tempo inteiro, não consigo me concentrar, não sei direito as coisas que falo, tudo é aéreo e eu me sinto apática.

A turbulência do que anda acontecendo no Brasil não ajudou, cancelei tantas assinaturas e bati tanta boca que não tá escrito. Hoje meu Facebook é um punhado de Grupo de vídeos fofinhos e pretendo que assim permaneça. Eu tenho algumas prioridades na vida, e não bater palma pra indignação seletiva é uma delas.

Queria ter estudado esse final de semana mas ainda estou mal, então não consegui. Espero que pro feriado eu esteja melhor pra colocar as coisas em dia e reagir um pouco pra vida.

Peço perdão pelo vacilo e a falta de posts. Peço perdão pela falta de sentindo, porque as coisas ainda giram. A gente sabe como blogs funcionam, e às vezes a gente tenta mas simplesmente não dá. 

8 comentários

  1. Melhoras Ana, te entendo perfeitamente, é só eu viajar (principalmente com ar condicionado na cara) que fico doente pro resto do mês, mas passa, tudo passa!

    http://amorticinio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Ana, meu bem, nem tudo tem de fazer sentido sempre. E tá tudo bem. Cuide de ti, tome muitos chás de limão com mel - é realmente bom -, vá ao médico e seja mimada bastante. Depois tu volta pra cá contar sobre qualquer coisa que tu quiser, porque essa é a graça dos blogs: não ter uma pauta fixa obrigatória.

    Melhoras!

    ;*

    ResponderExcluir
  3. Mania de querer ser Poliana, mas com Murphy no nosso pé não tem jeito.
    Melhoras pra você, muito chá, muito carinho que uma hora tudo volta aos eixos.
    Adorei seu blog, um abraço...
    http://juliet-in-crisis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Miga, dá cá um abraço bem apertado que tu tá precisando! <3
    Sinto muito que tenha passado por todos esses perrengues, só acho gente linda e querida jamais deveria passar por esse tipo de coisa na vida. Mas, veja que lindo, tu viu a rainha das ninfas ao vivo (e lembrou de mim, jamais esquecerei que fui abençoada por correspondência) e agora tá tendo muita bundinha do Matt™ para gente ver e debater sobre. <3

    Fica bem, lindona!
    Beijo, beijo!

    ResponderExcluir
  5. Ai mulher, melhoras pra você. Vou repetir mais uma vez o que provavelmente muitas pessoas já disseram: você não é obrigada a nada. Então espero que dê pra você curtir o cobertor e o netflix e filmes-abraço até ficar boa (e que isso seja logo!).

    Beijo!

    ResponderExcluir
  6. eita murphy desgraçado, mulher! espero que já esteja um pouco melhor ♥ eu tb choro quando as coisas dão errada, quando sinto que sou deixada de lado e quando sinto que tô com uma nuvem negra em cima da cabeça, pelo menos dá pra externar assim e depois tentar voltar ao normal, né? a minha série de desgraças começou na semana antes do lolla, fiquei doente pra kcte, acabei vendendo meus ingressos e assistindo pela tv, chorei demais com o show da flo, mas mesmo assim senti toda a benção daquela mulher maravilhosa, imagino você lá vendo ao vivo ♥♥♥

    ResponderExcluir
  7. espero que a essa altura do campeonato já estejas melhor :) dor de sinusite é desgraceira pura e tenho uma ideia do que é (a minha é quase parte de mim porque ainda não tratei a bichinha e ela SEMPRE dá as caras em qualquer crise de rinite). mas a gente ta ae né, firme e forte HAHAHAHAHA ****VAMO SE ABRAÇA****

    ResponderExcluir
  8. Fazendo as contas da data do post, a essa altura você já deve terminado o antibiotico e provavelmente já está melhor (#oremos).
    Mas vou te falar: você não está sozinha, sou dessas que choram quando está doente, quando as coisas dão errado... É um misto de frustração, com raiva do mundo, com um sentimento de "nada dá certo nessa minha droga de vida". mas passa, com um pouco de choro, uma noite bem dormida, cuidados e aconchego não resolvam.
    Quanto á falta de posts, já deixei de postar por muito menos, não poderia te julgar nem se eu quisesse.

    ResponderExcluir

© OH SO FANGIRL
Maira Gall