sexta-feira, 12 de junho de 2015

O que andei assistindo e alguns perdões

Ou: o que vocês podem assistir nas férias de inverno.
Ou, ainda, em comemoração ao Dia dos Namorados: séries pra assistir com o Mozão™. 

Mas antes: perdões.

Esses dias eu li o post meio até logo/we are on a break da Fernanda e me identifiquei muito com ele. Toda essa vontade de escrever algo, pensar em algo que talvez renda um bom post (ou qualquer post, for that matter) e não conseguir escrever nada tem sido bem recorrente por esse lugar que comecei a chamar de Casinha Virtual.

Peguei um apego emocional pelo blogzinho e não consigo dizer tchau, muito menos quero, mas sinto que devo algo quando fico semanas sem escrever nada. Sei que não devo, mas parece que devo. Louco assim mesmo.

Eu espero que em algum momento próximo essa vontade de escrever sobre qualquer coisa volte, porque eu gosto muito de escrever sobre qualquer coisa. Então no meio tempo eu já antecipo e tardiamente peço desculpas (pra mim, pra vocês e pro blogzinho) pela falta de conteúdo por aqui.

Agora que já estabeleci isso, vamos seguir com ideia ~original~ do post, que finalmente vai sair da mente e vir pro papel pra página em branco do blogger (!!!).

Eu andava com um bode de tudo na vida que até pra assistir série eu estava lenta. Mas aí o Deus Seriador me iluminou e eu voltei a ativa, bem l0k4, atropelando temporadas inteiras por final de semana. E foi durante esse momento iluminado que decidi indicar pra vocês  ou só contar mesmo  o que eu ando e andei assistindo.

Marvel's Daredevil 
Vale a noite virada? ●● 
Quando largaram os treze primeiro episódios da primeira temporada dessa nova (já não tão nova) série do Netflix (com a Marvel!), eu vi o tumblr colapsar. E o twitter não comentar sobre outra coisa. Levei dez dias pra começar o hype, e levei menos que isso pra sair pregando a palavra você-deveria-assistir-Daredevil por aí. Quem é o Demolidor vocês devem saber, o cego com altas habilidades sensitivas que decide começar a chutar bundas, jogar de prédios, quebrar ossos  sem matar  (d)os malvadinhos de Hell's Kitchen. A série é muito boa, e isso vem de alguém que não pilha muito séries de super-heróis. Então acreditem quando digo que vale a pena. Além do mais, tem o actual puppy Charlie Cox, que faz ótimos cosplays de comida and also tem uma ótima bunda, e a linda da Deborah Ann Woll. Vai na fé que tem selo Ana™ de aprovação. 

Modern Family
Vale a noite virada? ●● 
Aquela série de comédia que vive ganhando Emmys. E com razão. Comecei Modern Family faz alguns anos, mas por algum motivo desconhecido que eu vou chamar de timing eu assisti a primeira temporada e metade da segunda e deixei a série totalmente de lado. Esses dias, depois de um chorume twitterístico, eu decidi voltar a assistir Modern Family. E estou completamente viciada. A série é leve, o humor é maravilhoso, têm episódios que eu sorrio durante os 20min porque não dá pra não amar aquelas pessoas. Acho que nessa série tudo funciona extremamente bem. Mega indico ela pra quem quiser assistir algo ~light~ nas férias.


Sense8
Vale a noite virada? 
Também uma surpresa do Netflix, a nova série de sci-fi dos irmãos Wachowski (aqueles dos Matrix) conta sobre 8 pessoas ao redor do mundo que, após dividirem um sonho misterioso e conturbado, se viram linkadas mentalmente. A série, que é mais sobre pessoas do que tecnologia, não é pra qualquer um  se o comercial do Boticário ofendeu a família tradicional brasileira, Sense8 destrói (e se isso já não é motivo o bastante pra vocês assistirem ela, eu não sei o que falar). No começo, a série é lenta e, pra mim, meio sem pé nem cabeça. É muita coisa acontecendo, e só parecia isso: várias coisas aleatórias acontecendo. Eu esperei muito mais do pilot do que ele realmente entregou. Mas a série engrena, e quando tu vê, tu viciou. Ela pega um ritmo ótimo e vai ficando cada vez melhor com o passar dos episódios. Recomendo. Mas oh: vá devagar, viu? (porque depois vai ficar viciadx e desgraçadx da cabeça feito eu)


Unbreakable Kimmy Schmidt
Vale a noite virada?  
A série que tem a Tina Fey como criadora teve a primeira temporada de treze episódios (20min) lançada pelo (ta-da!) Netflix. A comédia é sobre uma moça que ficou quinze anos mantida em cativeiro por um fanático religioso e depois de ~liberada~ decidiu descobrir NYC. Com ótimas tiradas, e dois side characters que eu acho mais divertidos que a principal Kimmy, Unbreakable ainda não conseguiu me convencer 100%. O humor soa forçado às vezes e os últimos episódios foram, pra esta que vos fala, intragáveis. Vou assistir a segunda temporada porque tenho fé que (talvez) melhore, e não chega a ser ruim nível aquela série knock knock bazinga, mas não é essa Coca-Cola toda. No entanto, olhando pelo lado bom, tem uma das melhores e mais divertidas aberturas que eu já assisti.


Twin Peaks
Vale a noite virada?  
É aquela série de mistério dos anos noventa que gira em torno da pergunta: "quem matou Laura Palmer?". Comecei a assistir Twin Peaks porque a) sempre ouvi falar bem, b) é um hype dos seriadores e c) estou tentando achar uma série pra concorrer com a rainha do meu coração. Por enquanto só terminei a primeira temporada e confesso que, apesar das grandes chances de eu sair desgraçada de  da cabeça depois dessa maratona, Twin Peaks ainda não me convenceu. Colocando de lado os poucos recursos que o pessoal tinha lá nos anos 90, a série não me passou essa vibe nooooossaaaa toda. Ao menos, não ainda. Muito mais que Sense8, essa sim não é uma série pra qualquer um. Vou assistir a segunda temporada pra ver se é tudo isso mesmo, mas não é a minha série-prioridade do momento.


E vocês hein? O que têm assistido? Vão assistir algo de novo por agora? Já assistiram alguma dessas? Curtiram? Comentem aí pra gente não deixar o blog morrer, não deixar o blog acabar
© OH SO FANGIRL
Maira Gall