quinta-feira, 19 de junho de 2014

OITNB Season Two

Perdoem-me o sumiço, pessoal, mas não havia vontade, criatividade ou tempo que me fizessem parar pra escrever pro blawg. Ainda bem que a vida tá em ordem novamente e eu não ando sentindo muita vontade de socializar. E é óbvio que isso, pra minha vida online, só me traz vantagens (percebam a ironia!).

Então, pra comemorar a volta-da-forma-que-eu-espero, decidi fazer uma review da segunda temporada de Orange Is The New Black (review bagaça e cheia dos spoilers).

Pra quem não sabe (vide: pessoas que se esconderam de baixo de uma pedra), a segunda temporada foi lançada toda (!!!) no Netflix no último dia seis. 

Eu não tenho conta no Netflix, mas tenho amigas (valeu Lu!) que distribuem logins pras necessitadas (não diretamente, mas ainda assim) assistirem o que derem na telha e o catálogo oferecer. 

E foi assim que eu e a minha irmã assistimos, não correndo, mas num período ok de tempo a segunda temporada.

Nos foi prometido uma temporada mais "dark" e como pudemos perceber, isso nos foi entregue.

A Piper, nessa temporada, teve um foco diminuído (coisa que eu gostaria de ter se estendido ao Larry e a amiga dela que até esqueci o nome porque foi dolorido assistir aquilo), o que nos deu abertura pra explorar melhor outras personagens. Algumas delas já tinham caído no gosto do povo, como a Taystee e a Nicky (que deveria aparecer mais e mais e mais!), mas muitas delas a gente nem tinha ideia de como levava a vida antigamente.  

Fomos apresentados a novos rostos, como a Vee, poderosa, perigosa, rude e inteligente quase-mãe da já adorada e citada Taystee; Soso, a ativista, scottish-japanese, que engoliu sete vitrolas antes de ser jogada dentro da prisão ou até mesmo os que não serviram pra muito do primeiro episódio, mas que proporcionaram um pouco mais de ideia do quão grandiosa é a diversidade dessa série. Bem como perspectivas novas de personagens já conhecidos, como a diretora da prisão, Figueroa. 

Tivemos novos flashbacks, como o da adorável/louca/gananciosa Rosa -- que acabou sendo um dos meus favoritos; o super plot!twist do passado da Morello; o riot grrl! da ex-freira Sister Jane; o quebra-coração da Crazy Eyes; o quase-normal da Cindy; o super protetor e difícil de Gloria; ou até mesmo um não muito esclarecedor da Poussey-accent-a-droite-bitch. 


A série nos proporcionou, mais uma vez, diálogos bem escritos, com aquela pitada de humor que nós já estamos acostumados. Além das discussões, às vezes óbvias, às vezes nem tanto, de assuntos como sexualidade, preconceito, drogas, família, sistema carcerário, desumanização de detentos, violência, entre outros, de uma maneira que pouquíssimos TV shows conseguem fazer.

Mas mais que tudo, essa segunda temporada de OITNB veio pra reafirmar o que a primeira já nos mostrou: que além de ótima, não há série que trabalhe tão bem com o desenvolvimento de tantas personagens femininas ao mesmo tempo, personagens tão diferentes, que reagem de formas tão diferentes, a uma mesma realidade. 


No geral, a qualidade da série cresceu muito. Finalmente eles começaram a trabalhar com a ideia da Piper ser bissexual, sem se importarem com o 8 ou 80 do hétero ou lésbica da temporada passada. Provaram mais uma vez que uma série feita praticamente de personagens mulheres pode agradar a gregos e troianos. Juntaram atrizes talentosíssimas que tiraram o melhor do enredo enquanto atuavam de uma maneira super marcante. E o melhor: nos deixaram querendo mais, e mais dessa série. 

Quem não assiste, perde. Quem assiste, dá risada e passa raiva feito o resto de nós. E que venha 2015!

Obs.: quero flashback da Flaca e da Maritza na próxima temporada, bem como muito eye-candy que é a Alex (senti sua falta), e muita Nicky!!!!!!! E Poussey!!!!!!!! E, aff, quanto tempo falta mesmo?

2 comentários

  1. sabia que eu sou louca pra assistir essa série? só que algo SEMPRE me interrompe, dessa vez o problema é que minhas provas vão começar daí eu fico louca e mais ansiosa do que o normal e acompanhar série nesse estado é quase pedir para me internarem. beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assista! Dá uma refrescada no ar de tudo o que tu assiste, pode apostar. É demais. ♥

      Excluir

© OH SO FANGIRL
Maira Gall