domingo, 20 de julho de 2014

Aos meus amigos

Não sou a melhor que tem em demonstrar sentimentos. Por sinal, eu sou é muito péssima nisso. Mas tá tudo bem, porque meus amigos já se acostumaram. 

Eles sabem que a demonstração vem de doze em doze meses e geralmente nessa época. A escrita. Com rasgação de seda e bonitinha. As outras demonstrações são pequenas, que quase nem dá pra enxergar, e quando aparecem são em forma de "tu é muito troxa", "aff sua vaca" ou "eu acho isso errado". 

Porque amizade significa se importar. E se importar não é só quando tá tudo bem. Todo mundo feliz, bebendo, se abraçando e gritando pro DJ ou pra banda tocar aquela música. Se importar é ficar triste por ficar bravo com a pessoa. Se importar é estar lá, nem que seja pela 17ª vez pelo mesmo "tá no hospital de novo". Se importar é aceitar, e tentar conversar, e não pisar em ovo. Amizade é poder falar de merda. Isso, merda mesmo. É poder enviar foto do machucado pra pedir opinião e compartilhar nojeira. Amizade é poder ir pra casa de alguém só porque "eu preciso muito de ti" e chorar por quarenta minutos sobre um assunto super pessoal ou familiar. Amizade é acordar a pessoa que tá dormindo na van e chamar pra comer batatinha porque a "aula tá muito ruim". Amizade é assistir vinte e dois episódios de uma série um atrás do outro e parecer um meth addicted no final da jornada (juntos!). Amizade é poder dizer "tu tá sendo um babaca". Amizade é brigar às vezes. Amizade é segurar o cabelo, passar água no pulso, na nuca, dar chocolate e não conseguir parar de pensar "eu espero que ela não sufoque no vômito feito Jane Margolis". Amizade é se convidar pra ir pra casa da pessoa pra dormir, ou assistir filme. Amizade é perdoar e pedir desculpas, e reaceitar pessoas na tua vida. Amizade é estar lá no pior, nem que seja às 4h de uma terça-feira e você precise acordar dali poucas horas. Amizade é apoiar que você vá pro outro lado do mundo, seja feliz, por mais saudade que tu vá sentir. Também é amizade ir irritar amigo às 5h da manhã porque a "noite foi muito louca". É aceitar os vícios, e até relevar quando a pessoa some por três meses por causa deles (nada grave, eu juro). Amizade é tranquilizar atual do ex porque tu quer que ambas as pessoas sejam felizes, e felizes por perto, de preferência. Amizade é chorar num quarto durante as férias porque tu não tem como ir consolar a tua amiga que acabou de perder o pai. Amizade é dizer "quero pizza, faz pizza. E macarons" e basicamente se aproveitar de dotes culinários de pessoas que tu queria ver muito mais. É aceitar e apoiar as diferenças, os ensaios e as preferências de alguém que divide o mesmo quarto que tu. É criar planos mirabolantes pra ajeitar encontros entre pessoas que você só deseja o bem. É falar tanto, mas tanto numa van que provavelmente todos queiram matar vocês no final. É dançar música meio celta, meio estranha no meio de muita gente, com copo de cerveja na mão e achar o máximo o barulho da madeira sendo pisada por vocês. É segurar lanterna às 5h, no meio do mato, porque você realmente precisa ir fazer xixi. É dançar Rouge depois de péssimas escolhas. É obrigar anexo querido do teu amigo a tirar selfies contigo, por mais que a pessoa não goste de fotos. É conversar numa boa sobre dilemas da vida, desamores, desencontros e dificuldades financeiras, de saúde ou até de péssimos cortes de cabelo. 

E tudo isso vem um pacote que diz que talvez não seja assim sempre. Talvez exista uns arranca-rabos. Talvez a gente se distancie. Talvez a gente se aproxime. Talvez um queira quebrar uma garrafa na cabeça do outro. Talvez a gente não concorde em tudo. E nem queira as mesmas coisas. Mas por algum motivo, que talvez nem R'hllor conheça, nossos caminhos se cruzaram e por algum outro desconhecido motivo, a gente se uniu. 

A real é que não importa. Porque no fim do dia, todos os dias, eu sei que posso dormir agradecida de ter quem eu tenho por perto. E porque falta "eu te amo" falado por mim na minha vida, mas com toda certeza não falta amor por essas pessoas. E hoje eu vou deitar, mais uma vez agradecida, mas também mais uma vez pedindo que quem esteja por perto, que continue, e que quem esteja longe, que volte pra mais perto. Porque, afinal, "amizade é maior do que tudo já diziam os antigos".

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Oh Emmy God (parte 1)

Já disse e muito provável que não só uma vez que eu deveria estar bebendo champagne com os comentarista de tanta pirada/live blogging de evento gringo que eu já fiz. O Oscar teve quase um diretório só pra ele no meu blog esse ano.

Mas nada, nada consegue se igualar ao que eu sinto com os Emmys.

Meu evento gringo favorito com toda a certeza.

Esse post, nada pessoal, para tristeza de todos os leitores (3), é tendencioso e F A N G I R L das minhas escolhas em cada categoria.

(ps.: são muitas categorias, então serão posts separadinhos, tá? Senão esse ficaria quilométrico).

(ps.: deixei de fora os reality/variedade/animação/criança etc etc porque meu interesse por isso é o mesmo que meu interesse por física) 

Vamos por ordem?

LEAD ACTRESS IN DRAMA
Michelle Dockery/Downton Abbey || Claire Dane/Homeland || Robin Wright/House of Cards ||
Lizzy Caplan/Masters of Sex || Kerry Washington/Scandal || Julianna Margulies/The Good Wife
Não assisto Scandal. Nem Masters of Sex.  Nem The Good Wife. Nem Homeland. Seria feio se não fosse lindo eu escolher a Robin mesmo assim. Detesto essa expressão, mas ela "lacra" com as inimigas como Claire Underwood. Adoro a Michelle, mas ando perdida em Downton Abbey lá pelos meados da terceira temporada. 
PS.: Tatiana Maslany > todas, tá academia? Vocês fedem. 


LEAD ACTOR IN DRAMA
Bryan Cranston/Breaking Bad || Kevin Spacey/House of Cards || Jon Hamm/Mad Men ||
Jeff Daniels/The Newsroom || Woody Harrelson/True Detective || Matthew McConaughey/True Detective
Ai gente, sério, parem. Comerei fígados se esse prêmio não for pro Bryan. Não assito Mad Men nem Newsroom. Achei True Detective legal. O Woody tá aí por respeito. Não vale o Matthew ganhar porque ele já tem um Oscar, poxa. O Kevin Spacey, assim como a Robin, foram espetaculares em House of Cards. Mas esse prêmio é do Bryan Cranston. O último prêmio dele como Walter White. E merecidíssimo. 

SUPPORTING ACTRESS IN DRAMA
Anna Gunn/Breaking Bad || Maggie Smith/Downton Abbey || Joanne Froggatt/Downton Abbey ||
Lena Headey/Game of Thrones || Christina Hendricks/Mad Men || Christine Baranski/The Good Wife
Eu sempre vou escolher Breaking Bad. Não adianta. Essa categoria é linda, maravilhosa, pesada. Mas não há COMO COMPETIR COM ISSO!!!


SUPPORTING ACTOR IN DRAMA
Aaron Paul/Breaking Bad || Jim Carter/Downton Abbey || Peter Dinklage/Game of Thrones ||
Mandy Patinkin/Homeland || Jon Voight/Ray Donovan || Josh Charles/The Good Wife
Aaron Paul porque é a melhor opção. E porque ele é Jesse Pinkman. Ainda estou pensando como o Dean Norris não apareceu nessa categoria. Facilmente escolheria o Dean se ele tivesse por aqui. Amo o Aaron, mas o Dean merecia sair de BrBa com um Emmy na mão também. Aparentemente, um monologo de dez minutos sobre besouros é muito mais interessante.

GUEST ACTRESS IN DRAMA 
Diana Rigg/Game of Thrones || Kate Mara/House of Cards || Allison Janney/Masters of Sex ||
Kate Burton/Scandal || Margo Martindale/The Americans || Jane Fonda/The Newsroom
Deve ser muito difícil ser Kate Mara. Sair de uma série como HoC pra fazer série do Quarteto Fantástico. Tudo bem. Vai pra Dianna porque sassy Tyrells é tudo o que eu me importo (só que não) (não assisti as outras heh).


GUEST ACTOR IN DRAMA
Paul Giamatti/Downton Abbey || Reg E. Cathey/House of Cards || Robert Morse/Mad Men ||
Beau Bridges/Masters of Sex || Joe Morton/Scandal || Dylan Baker/The Good Wife 
Categoria mais nada-entendo até agora. Voto no Reg porque ele é o único que assisti/conheço. E todas querem costelinhas do Freddy. 


WRITING DRAMA/DIRECTING DRAMA/BEST DRAMA
1. Writing: Moira Walley-Becket/Breaking Bad || Vince Gilligan/Breaking Bad || David Benioff and D.B. Weiss/Game of Thrones || Beau Willimon/House of Cards || Nic Pizzolatto/True Detective
2. Directing: Tim Van Patten/Boardwalk Empire || Vince Gilligan/Breaking Bad || David Evans/Dowton Abbey || Neil Marshal/Game of Thrones || Carl Franklin/House of Cards || Cary Joji Fukunaga/True Detective
3. BEST DRAMA: BREAKING BAD.
Eu falei que eu ia escolher sempre Breaking Bad. Não sei porque separaram os dois escritores de BrBa, mas tudo bem. Vai no tio Vince porque in Vince We Trust. Todas as outras séries até merecem... Exceto Game of Thrones (na minha humilde opinião, tá?).
Já em direção, só nunca assisti Boardwalk Empire (tá na lista), e não tem como dar esse prêmio pra outra. A parte 2 da quinta temporada de Breaking Bad foi impecável. 
Melhor série de drama tem que ir pra Breaking Bad. Eu não tô acompanhando Downton, mas não sei se a série pode oferecer muito mais que ofereceu nas primeiras temporadas. Essa última temporada de Game of Thrones não foi das melhores. House of Cards é ótima. Viciei muito na série. Mad Men nunca vi. E True Detective é boa, embora eu não tenha compartilhado do mesmo amor que o resto do mundo. Só que eu não consigo considerar nenhuma dessas temporadas que eu assisti melhores que a finale de Breaking Bad. Não dá. MELHOR SÉRIEEEEEEEEEEEEE!!!!!!!!!!!!!!!!!


Vou continuar com meus BREAKING BAD DIGO CHUTES em outros posts.

Aqui me retiro com mais uma vez essa imagem que fala mais que mil palavras embora tenha palavras na imagem.


Mas e vocês? O que acham?

terça-feira, 15 de julho de 2014

Top 5 Sites pra Seriadores (que você provavelmente já conhecia)

Tô preparando uma outra série de posts que provavelmente ficarão grandes e por esse motivo não larguei nenhum deles ~por aí~ ainda.

Pra não deixar o blog morto mortinho em tempos de férias acadêmicas, decidi fazer um top 5 links óbvios super óbvios mas que estão nos meus favoritos há muito tempo e são praticamente os que mais uso.

Eu que não entendo nada de web design poderia fazer um site melhor. O site é péssimo mesmo, gente. Mas é um dos melhores no quesito HQs pictures de alguns seriados. Sério. Tem coisa de Game of Thrones que encontrei aí que não encontrava em lugar algum. Esse é mais pr'aquelas pessoas que curtem fazer ediçãozinha pra Tumblr (bons tempos...). Não tem tudo. Na real, são poucas as séries. Mas o que tu encontra é tudo A+.

Pros impacientes feito eu, o Addic7ed é o melhor lugar pra encontra legenda de série. Uso também o Legendas.TV, mas com beeeem menos frequência do que uso o Addict7ed basicamente porque nesse último tu encontra mais rápido as legendas, mesmo que sejam as mais informais/corridas/em inglês.


Pra mim um dos melhores, senão o melhor site de série que tem. Tudo em torrent, tudo legendado. Tudo lindo. A maioria dos links são em HDTV, então as qualidades não são láááááá essas coisas, mas dá pra assistir.

Tirando quem mora enfiado embaixo de uma pedra, todo mundo já deve ter ouvido falar do Piratebay. Tu encontra de tudo aí. Tem que tomar um pouco de cuidado e baixar sempre de links mais "confiáveis", e de preferência os com mais seeders. Baixo uma quantidade esmagadora das coisas por aí, principalmente quando quero algo mais "web.dl" que poucas vezes são linkados nos sites de download legais (huehue). 
O Kickass Torrent tem basicamente a mesma função, mas mais ~seleto~. Tu não vai encontrar 118 links da mesma coisa.

Há quem deteste, mas eu já tentei migrar pra outras plataformas/redes de "seriadores" e não tive sucesso algum. De uns tempos pra cá, melhorou bastante e o site não "cai" como caía uma vez. Meu favoritinho que uso pra marcar/me organizar com meus seriados. PS.: a única coisa que eu quero é poder escolher minha foto de fundo, poxa!

sexta-feira, 4 de julho de 2014

Uma quinta-feira

Não sei porque motivo específico, mas a última quinta-feira me deu a impressão que foi uma quinta-feira a ser compartilhada.

Não houve nada de interessante na minha quinta-feira. Assim como não há quase nada de interessante nas minhas outras muitas quintas-feiras também.

Mas ontem voltou a chover. O sol apareceu na quarta e ontem foi embora de novo, e voltou e foi e voltou. Só que as nuvens, e o tempo meio cinza, meio querendo colorir, veio acompanhada de um tempinho mais ameno. Menos roupa. Mas ainda assim muita roupa.

Eu tomei café, fui pro estágio, fiz minhas coisas. Sai do estágio pra dar de cara com um homem muito do mal encarado. Virei pro lado e segui rápido a rua pra ver um senhorzinho no chão, já caído, com a sua, muito aparentemente mulher, esbravejando com ele por ele ter caído. Alguma das almas caridosas dessa cidade tentou explicar que "não briga com ele, essas coisas acontecem". Prestei atenção por mais três segundos e deixei a quadra pra trás, porque por milagre eu consegui atravessar a rua sem ter que esperar. E assim subi a quadra seguinte pra pegar o ônibus -- esse já quase deixando a parada... Mais uma vez não me fazendo esperar.


Comi feijão. Eu amo feijão. Tomei banho, organizei minhas muambas já que eu iria direto do resto do estágio pra aula. Saí de casa, atrasada, pra ver de longe três ônibus passando, um coladinho do outro, na rua em que eu os pego. Em cem metros de trajeto, uma moça que já vi várias vezes, decidiu cair um tombo. Com direito a derrubar todas suas sacolinhas. Eu tava longe, quando cheguei perto ela já estava de pé. Não perguntei nada. Na parada, então, esperando o ônibus que só passou às 13h30, horário esse que já deveria estar no escritório, eu cruzei o olhar com a moça do tombo. Me senti mal. Talvez eu devesse ter falado alguma coisa. Tentei mandar mensagem pra minha colega de trabalho avisando que "já tava chegando". A mensagem não foi entregue. Cheguei esbaforida no estágio. Fiz minhas coisas. Dei umas risadas. Ganhei uma bala de mel "por causa da tosse". E fui-me pegar o ônibus para a faculdade. Com os fones de ouvido, é claro.

O ônibus enche e esvazia, em parte, antes de eu chegar no meu destino. Ele dá uma volta na cidade e eu curto olhar as casas e o céu que geralmente tá naquela transição dia-noite e as pessoas que ficam na parada. Observo, que assim como eu, tem alguma duzia que são fieis usuários da linha. Tem uma guria que toda quinta-feira espera o ônibus na mesma parada que eu. Ela para na universidade, mas não tem cara de universitária. Tem um guri mais novo, que me encara quando eu entro, que sempre espera o amigo dele, que só aparece umas boas 7 paradas depois, pra só então sentar em algum lugar. Tem um outro moço bonitinho, que tem um jeito de ser rebelde sem causa que ainda usa bottons de banda na mochila, que entra duas ou três paradas depois desse amigo do novinho. Esses todos param na universidade. Esses dias tinha um senhor de idade com um saco de batata. Ele deixou o saco cair, mas as batatas não caíram do saco. Por sorte. Ultimamente, também, apareceu um outro moço, esse que deve ser mais velho por alguns poucos anos que eu, que tem um cabelo muito melhor do que o meu jamais será. Ele usa o cabelo na altura do pescoço, tem uma vibe super hippie e também fica encarando o vidro do ônibus ou as coisas lá fora.

Cheguei na universidade sem vontade de comer sanduíche com suco de laranja. Apelei pra minha torta de nozes favorita com uma Pepsi, já que não vendem Coca-Cola lá. Minha TPM agradeceu.

(créditos)
Segui pra minha aula mais chata do semestre. Sentei e escutei grupos lendo e tentando explicar textos realmente chatos sobre Direito Ambiental. Dei uma lida num trabalho que talvez sim, talvez não pudesse ter de apresentar na aula após àquela. Joguei Subway Surfers. Que o mundo não precise de mim no Direito Ambiental daqui uns anos, porque Subway Surfers era muito mais interessante. Faltando três minutos pra minha aula acabar, meu professor decide passar "uma perguntinha". Ditou vinte linhas. Olho pra um colega do outro lado da sala e nós dois fazemos "não" com a cabeça, expressando a vontade de esganar o professor de provavelmente a turma inteira. 

Obviamente, minha aula seguinte começou comigo bufando querendo uma explosão espontânea do professor anterior. Sento,  respiro, e por uma sorte do destino, meu grupo, de dezesseis grupos que poderiam apresentar, é sorteado por primeiro. A matéria que mais preciso de nota, em uma das áreas que menos me interesso. Queria que o mundo me engolisse. Fiquei nervosa. Apresentei. Voltei pra classe. Vi o professor descascar um aluno que tinha menos sorte do que nós que decidiu apresentar sozinho. Lendo. Coitado. A aula acabou muito antes do que deveria. Nossa matéria já tá conclusa. Voltei pro Subway Surfers. E pro Dumb Ways To Die. 45 minutos de pura emoção. A aula seguinte foi de Subway Surfers. Só correção de exercício. A matéria tá na ponta da língua, mesmo sem precisar. Já tenho nota sobrando nela. Sem querer me gabar. 

Desejei muito as férias e esperei até as 22h30 pra poder sair daquele lugar. Depender de van dá nisso. Cheguei em casa, com muita muita muita preguiça de tirar a roupa. Coloquei meu pijama amarelo, lavei o rosto, comi um misto-quente. Fiquei conversando com uma amiga minha sobre o novo trabalho dela, filhotes de cachorros e brownies de chocolate branco com frutas vermelhas. 

Deitei, agradeci por não levado tombo, apaguei, acordei e senti vontade de escrever isso aqui. Mas ainda estou sem saber o porquê.
© OH SO FANGIRL
Maira Gall