domingo, 20 de abril de 2014

Hmmm ããã é

"Hmmm, acho que sim. Acho que pode ser isso. Mas eu nem sei como começar isso. Deixa, outra hora eu tento... Opa, isso seria legal. Mas tem que escrever tanto! Olha lá, a parede! Meu Deus! Quanto tempo já se passou? Vish. Melhor fazer isso outra hora. Ou eu poderia fazer agora. Ã, é hora de dormir?"

E o loop se repete. E se repete. E se repete. É o bloqueio (nada criativo porque criatividade não há) comum de quem tem blog (ou só eu, né?). Então por esse motivo e esse motivo somente, deixo vocês, nesse post sem noção, na companhia do grande Mr. White He's The Devil The One Who Knocks Heisenberg Walter:

sábado, 12 de abril de 2014

Two Swords (of a storm)

Game of Thrones, meu main fandom, voltou no último dia 06. Quem me conhece já tá cansado de me ouvir falar sobre ou  ter ataques no twitter durante os episódios da série. Diga-se de passagem: ataques são recorrentes.

Como eu demorei muito pra finalizar esse post (por motivos óbvios (vida!)), eu vou fazer em forma de tópicos pequenos os highlights da premiere da quarta temporada, pode ser? #foi

  • OBERYN FUCKING MARTELL. ELLARIA MARTELL. MARTELL. M a r t e l l. E isso é mais do que suficiente. Eu adoro os Martells, e acho eles uma das casas mais interessantes da série. Não sabia que o Oberyn era bissexual porque nos livros isso não nos é passado em nenhum momento (ao não ser que eu tenha lido os livros de olhos fechados e/ou tenha uma memória super fraca), então achei divertido.
  • Sansa Screentime. Isso é sério????? Eu nem pude acreditar quando a personagem teve um tempo decente de aparição. Além do mais: que cabelo lindo é esse, Sophie? As humanas choram. E mais além: a Sansa não aceitando torta de limão?! É o fim dos tempos. É o ápice da tristeza. E isso mostra o quão internamente perdida a garota se encontra, e, convenhamos, não é por menos, né? Ela perdeu tudo, basicamente. E E E DONTOS!!!!!!!!!! Finalmente. Achei a cena dos dois super querida, e achei o bêbado outro querido. E que ele sirva seu propósito (daqui alguns episódios, we'll see).
  • Jaime Lannister/Cersei Lannister: Que coisa mais engraçada foi o Jaime dando tchauzinho com a nova mão? Adorei. E adorei a interação dos dois nesse episódio. Eu não nego o quanto detesto a Cersei, mas ela é uma personagem muito bem feita. Tiro meu chapéu pra Lena e a interpretação dela. De muito bom gosto.
  • Jaime/Brienne: ship allert ship allert ship allert.
  • Daenerys Targaryen: Eu demorei muito tempo até começar a curtir (nem que um pouco) a Dany. Então achei as cenas dela bem normais?! As melhores partes foram as que o Daario, QUE EU AINDA ACHO QUE PODERIA TER CABELO AZUL, apareceu. Tirando a parte das flores, que eu achei tão tosco e tosco e tosco e tosco e que só serviu pra elevar a Dany ao nível de ppk de ouro da série, sendo que ela é muito melhor que isso. 
  • Jon Snow: ARE U OKAY THO. Vem cá que eu te dou um abraço. 
  • Ygritte: ai ruivosa, te prepara. 
  • Tyrells: did you mean oooh snap tyrell house porque basicamente, é tudo o que eu vejo quando eles aparecem em cena. Não consigo colocar em palavras o quanto adoro a Olenna, e ainda mais o quanto eu adoro a (obviously gay) Margaery. Todos muito A+.
  • Shae/Tyrion: meh.
  • Arya Stark/Sandor Clegane: nos livros eu lembro de ter curtido muito as interações dos dois, mas na tv tá ainda melhor. Tirando o fato que os produtores decidiram ignorar o impacto da Sansa no arc do Sandor, o resto foi de todo f-o-d-a-. A Arya fazendo cosplay de psicopata, o Sandor sendo o piadista da série como sempre...

No geral, achei um bom início. Não teve putaria aos extremos, o que eu acho bem conveniente uma vez que tem muita coisa mais interessante pra ser passado da história. Não teve creepy Petyr aparecendo do nada e falando pelos cantos dos cômodos. Estabeleceu bem os lugares de onde os personagens vão partir, e não foi nada corrido. Então... it's something.

Espero realmente que a série mantenha o nível e que não me deixe muito nervosa. E agora é só esperar o próximo episódio e EU MAL POSSO ESPERAR PORQUE JÁ IMAGINO O QUE VAI ACONTECER I'D LIKE TO THANKS NOT ONLY GOD BUT ALSO JESUS.

terça-feira, 1 de abril de 2014

How I Met YWHAT THE FUCK

EU ACABEI DE ASSISTIR ESSE FINALE.

E eu vou desligar o caps agora.

E eu quis iniciar e possivelmente terminar esse post enquanto eu me sinto nesse turbilhão de emoções verborrágicas mas nada eloquentes sobre esse final de HIMYM.

Lágrimas rolaram soltas? É óbvio! Eu chorei até com Girls nesses últimos dias, o que tu vai esperar que a series finale de uma das séries que tu mais se acostumou a assistir faça contigo??? Lágrimas, claro.

A única coisa que eu sei é que: eu não esperava isso (além das lágrimas, de novo).

Quer dizer, a mãe morta eu esperava. Tudo bem, é verdade. É duro. Ela é a criatura mais fofa da série. Ela e o Ted combinam tanto que chega a doer. E isso foi jogado fora. :( Isso e mais um pouco, diga-se de passagem.

Eu não entendo como eles gastaram nove anos de construção de personagens pra chegar no último episódio e jogar tudo água abaixo.

Nine years of amazing character development to bring us back to season one:
Ted is obsessed with Robin
Robin’s work schedule is insane
Barney’s a whore
Lily and Marshall are compromising their dreams for each other
What mother?

COMO QUE ELES SEPARARAM O BARNEY E A ROBIN? Tá, eu entendo, shit happens e relacionamentos não duram pra sempre. Mas o motivo?!!?!? GENTE, O MOTIVO?! E me explica por que a única coisa que criou decência na cabeça do Barney (40 anos, Playbook II e trovando garotas até não poder mais? Uhul, character development) é a única coisa que a Robin nunca pode dar pra ele? (filhos!)

Isso não faz sentido. Eu me senti como a Alyson Hannigan que com toda a certeza chorava de verdade enquanto gravava aquelas cenas = chorosa.

E, R'hllor, O QUE ELES FIZERAM COM A ROBIN?

O Ted teve tudo o que queria.

A Robin tudo o que queria. 

É compreensível em teorias que eles acabassem juntos no final, MAS não dessa forma. 

A Robin parecia uma guria birrenta que ficou com o ciúmes do ex-namorado-com-quem-ela-nunca-deu-certo seguir em frente. (?????? sentido ??????????)

O Ted passar dias e temporadas dizendo o quanto amava a mãe, pra chegar no final e os filhos terem que admitir por ele que ele "sempre teve uma coisa pela tia Robin"?



Eu me sinto traída, porque tanto Ted/Robin quanto Robin/Barney foram ships que eu shippei e que tiveram um finale totalmente bagunçado e não merecido. Eu me sinto traída porque por mais que as intenções dos escritores fossem boas, mostrando que amigos vão e vêm, que doença acontece e divórcios também, o que eu acabei de assistir foi só uma bagunça de um seriado que, pra mim, sempre foi lindo. Foi um final que a série não merecia.

DE QUALQUER FORMA: eu ainda não sei o que sentir sobre esse finale. Eu queria mais, eu esperava mais. Mas eu vou sentir tanta saudade dessa série que eu não consigo ficar com raiva da bagunça, porque aí eu lembro do Ted montando árvores de Natal pra Robin quando ela descobriu que não podia ter filhos, ou quando o Barney se declarou pra Robin embaixo de chuva, ou quando a Lilypad e o Marshmallow casaram, e eu esqueço de tudo e me foco em tudo o que foi bom. 

E quando eu faço isso, eu quero deitar em posição fetal e chorar. As usual. Porque por mais que o fim não tenha sido bom, HIMYM sempre foi sobre a jornada e não sobre o destino, então: foco. 






 Tá permitido chorar. Já passou da meia noite.
© OH SO FANGIRL
Maira Gall