quarta-feira, 28 de agosto de 2013

It's Really About You

Esse episódio merece uma review quentinha, saída do forno, direto pra vocês de forma rápida. Não teve como ficar com preguiça de escrever, não importa que o tempo esteja feio, ou o sono pesado, ou os estudos me chamando, com um episódio feito esse S5E10 - Confessions de Breaking Bad, não há fangirl que não se anime em falar com boca cheia ou dedos ávidos sobre o assunto. Então vamos lá, né?

sábado, 24 de agosto de 2013

Am I Under Arrest?

Continuando com a árdua (gente preguiçosa, 'cês sabem como é...) promessa que eu fiz aqui, vamos lá pra review/opinião pessoal do episódio Buried (S5E10) da última temporada da melhor série da tv (Breaking Bad). Is we!!!

Obs.: Tô fazendo esses posts todos under the cut pra evitar spoiler pra quem não quer ver, hihi.
Obs2.: a review tarda mas não falha! Comecei esse post na última Quarta-feira e olha no que deu...

domingo, 18 de agosto de 2013

MIXTAPE: #2 - Fading Away

Músicas pra escutar quando nada faz sentido, ou quando tudo faz sentido mas você sente como se estivesse desaparecendo. Desvanecendo. Em silêncio. Ou na rua. Ou correndo. 

1. I Guess I'm Floating — M83
2. Bella — Angus & Julia Stone 
3. Woods — Bon Iver 
4. Little by Little — Blue Foundation 
5. Yellow Light — Of Monsters and Men
6. Esmerelda — Ben Howard
7. Drug You — Half Moon Run
8. She Wants To Know — Half Moon Run
9. Oh Ana — Mother Mother
10. Dark Doo Wop — MS MR

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Tread Lightly

Como boa fã que sou, e como louca!fã que sou, me proponho, através desta, fazer um review pra cada episódio dos últimos oito episódios (ever!!!) da série que eu penso ser a melhor da tv na atualidade — ou pelo menos a melhor das que já assisti e/ou assisto. Isso mesmo, estou falando de Breaking Bad.

Quando a série terminar, pretendo fazer um post exclusivo pra gritar aos quatro ventos a certeza que nenhuma série que eu assisto pode bater essa série de outro mundo (ou pra comprovar que Breaking Bad fez uma lavagem cerebral em mim).

De qualquer forma, vamos lá... A opinião pessoal sobre o episódio nono da quinta temporada (S5E09): Blood Money.

domingo, 4 de agosto de 2013

TOP 5: Personagens que me identifico

Fiquei pensando e pensando e pensando em qual seria o meu próximo (esse) post no blog. Não tinha nem ideia do que escrever porque andei pensando demais em coisas não relacionadas a fandom e acabei vomitando pensamentos em um outro blog fechado nesse meio tempo.

Como passei esses dias de férias e tempo livre sequelando e pensando demais, e não me dedicando a minha vida fandom related, decidi fazer um top 5 diferente. Por que quem liga pra lógica do blog ser sobre coisinhas se isso é um blog e eu estou mais que autorizada a falar sobre coisas que atingem a minha pessoinha?

É um top 5 dos personagens que eu me identifico, por uma ou diversas razões, e ao mesmo tempo são (em sua maioria) personagens que eu amo(/sou).

1. SUMMER FINN ((500) Days of Summer)
Que novidade! Quem me conhece sabe que (500) Days of Summer é o meu fave dos faves, e é fave desde que estreou. Já me chamaram de Summer. Eu não dei muita bola. Até porque se eu sou Summer, eu não ligo mesmo, não é? Não é. Ligo sim. Mas da minha própria maneira. Da mesma forma que a personagem faz no filme. Faz a própria história sem se preocupar em ser coadjuvante na vida de alguém. E por essas e outras a gente escuta o que escuta dela: que ela é uma vaca. Vadia. Sem coração. Coitadinho-inho-inho do Tom. Por que ela foi fazer aquilo com ele? Ah é. Porque ela é a lead role na própria vida, e não se contenta em ser coadjuvante na vida de um terceiro. Porque ela é real e cai em contradição quando diz que não acredita no amor e daqui a pouco quebra a cara porque ele aparentemente existe. Acontece, né?

You weren't wrong, Tom. You were just wrong about me.

Tom: Look, we don't have to put a label on it. That's fine. 
I get it. But, you know, I just... I need some consistency.
Summer: I know.
Tom: I need to know that you're not gonna wake up 
in the morning and feel differently.
Summer: And I can't give you that. Nobody can.

I said I love The Smiths.

2. CHARLIE (The Perks of Being A Wallflower)
Acho que existe uma ligação forte entre minhas coisas (livros/séries/filmes) favoritos e os personagens com que me identifico. O Charlie é disparado um deles. Não porque eu sofri algum trauma que chegue aos pés do que ele passou, mas o resto... Eu posso jurar pra vocês que aquele livro é o livro da minha vida. Não sei se não seria nem o livro que eu teria como colocar como personagem, porque as descrições que o Charlie faz nas cartas sobre as coisas que acontecem ao redor dele, ou como ele percebe essas mesmas coisas, são aquilo que me fizeram crer que ou o Charlie ou o livro merecem estar em segundo lugar. A lista de quotes é grande, só pra vocês poderem ter uma noção.

It's just that I don't want to be somebody's crush. 
If somebody likes me, I want them to like the real me, not what they think I am. 
And I don't want them to carry it around inside. 
I want them to show me, so I can feel it too.”

“I don’t know if you’ve ever felt like that. 
That you wanted to sleep for a thousand years. Or just not exist. 
Or just not be aware that you do exist. Or something like that. 
I think wanting that is very morbid, but I want it when I get like this. 
That’s why I’m trying not to think. I just want it all to stop spinning.”

“So, I guess we are who we are for alot of reasons. 
And maybe we'll never know most of them. 
But even if we don't have the power to choose where we come from, 
we can still choose where we go from there. We can still do things. 
And we can try to feel okay about them.”

“So, this is my life. And I want you to know that I am both 
happy and sad and I'm still trying to figure out how that could be.”

“I am very interested and fascinated how everyone 
loves each other, but no one really likes each other.”

3. CLEMENTINE KRUCZYNSKI (Eternal Sunshine of the Spotless Mind)
Eternal Sunshine of the Spotless Mind é um filme que todo mundo deveria assistir, não só porque é incrível, mas porque a Clementine é d-e-m-a-i-s. Confesso que faz um tempo que assisti o filme (anos?), mas ele me marcou muito e um dos maiores motivos pra isso foi a personagem mesmo. Dispensando mais comentários, só deixo aqui algumas das frases/amô pra justificar meu argumento.

“Too many guys think I'm a concept, or I complete them, 
or I'm gonna make them alive. But I'm just a fucked-up girl 
who's lookin' for my own peace of mind; don't assign me yours.

“I don't need nice. I don't need myself to be it, 
and I don't need anybody else to be it at me.”

Joel Barish: I can't see anything I don't like about you.
Clementine: But you will, you will think of things and 
I'll get bored with you and feel trapped because that's what happens with me.”

“I'm always anxious thinking I'm not living my life to the fullest.”

4. EFFY STONEM (Skins)
Clichê. Todo mundo é um pouco Effy Stonem, né? Não pela parte louca. Sexo. Drogas. E rock n' roll. Ou até pelo rock. Ou as outras. Mas todo mundo deve se sentir Effy às vezes. Intocável. Fechada. Obviamente com problemas enormes em demonstrar o mínimo de afeto. Tentando fazer dar certo pra todo mundo e com todo mundo, e acabando pirando de tanto pensar no final. Óbvio. O normal. Aconteceu com você uma vez ou duas ou meia dúzia ou uma dúzia... O fato é que todo mundo já deu uma de Effy. Mas longe de mim nós?) bancar a Effy. Saiu de moda fingir que vive em seriado. Especialmente Skins.

Love, love, love... what is it good for? Absolutely nothing.

Sometimes I think I was born backwards. 
You know, come out my mum the wrong way.
 I hear words go past me backwards. 
The people I should love, I hate. And the people I hate...

Effy: Hit me! Just once. I want to feel something.
Freddie: We’d be good together. Don’t you think?
Effy: No.
Freddie: Why?
Effy: Because I’ll break your heart.
Freddie: Maybe I’ll break yours.
Effy: Nobody breaks my heart and anyway, why would I want that?

5. ROBIN SCHERBATSKY (How I Met Your Mother)

Pra que viver só no romance ou só na carreira/futuro? Pra que ter que escolher? E não querer filhos e ficar triste quando descobre que não pode ter? Pra quê? A única coisa que sei é que no futuro provavelmente vou morar em um apartamento com cinco cachorros. À la Robin. E isso é mais do que suficiente pra ela levar a quinta posição.

Claro que existem outras(os) personagens, mas daí é coisa mais aleatória em qual eu, geralmente, me identifico com a situação ou alguma fala/pensamento (ex.: Elizabeth Bennet de Pride and Prejudice, Lizzie de Liberal Arts, Jenny de An Education, Jane Margolis de Breaking Bad etc etc). E por mais que alguns desses motivos sejam o suficiente pra fazer com que x, y ou z entrem na listinha, tentei filtrar ao máximo, com a little help from my friends, esses personagens quais eu olho com mais carinho ainda (por motivos quase que óbvios (será?)).

A falta de criatividade mandou um abraço e na próxima, talvez, ela decida aparecer (por pelo menos uma vez).
© OH SO FANGIRL
Maira Gall